<
>

Neymar? Presidente do Barcelona prefere estreia em LaLiga e não viajará para reunião que encontraria dono do PSG

A novela da contratação de Neymar pelo Barcelona não viverá um capítulo especial na sexta-feira, em Liverpool, onde se esperava um encontro cara a cara entre o presidente do clube, Josep Maria Bartomeu, e o presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Nasser Al-Khelaifi. Isso porque o dirigente catalão decidiu acompanhar o time principal a Bilbao, fazendo com que seja ausência na reunião da Associação Europeia de Clubes, que ocorrerá na cidade inglesa.

No encontro na terça em Paris entre Eric Abidal e Javier Bordas com representantes do PSG, se esperava uma continuação com os máximos mandatários dos dois clubes, na qual poderia se aproximar de um acordo ou, ao menos, assentar bases sólidas para negociar a transferência do brasileiro. No entanto, Bartomeu priorizou a partida da equipe comandada por Ernesto Valverde em San Mamés, contra o Athletic Bilbao, pela estreia no Campeonato Espanhol, assim como o diretor geral, Oscar Grau, o que é um claro sinal de que o Barça, oficialmente, mantém o assunto em segundo plano diante da postura, de momento, inflexível do PSG.

A reunião envolvendo os dois clubes na terça-feira na capital francesa não resultou em algo positivo para nenhuma das partes e especialmente o clube francês se sentiu incomodado pela postura do Barça, muito distante das exigências dos parisienses quanto à venda do astro.

Wouer Lambrecht, advogado contratado pelo clube desde 2017, será o representante azul-grená na reunião em Liverpool, na qual se tratará da anunciada reforma da Uefa Champions League a partir de 2024 e na qual não se produzirá o encontro entre os dois presidentes, adiando desta forma um possível acordo que é visto como muito difícil desde o Camp Nou.

De volta a Paris depois de ter passado um dia em Portugal, Neymar se junto ao PSG mantendo-se em silêncio quanto a suas intenções, por mais que o Barça o tenha pedido para manifestar abertamente sobre seu desejo de voltar ao clube. O jogo de esquiva mantido pelo atacante e a firme postura do PSG são vistos como motivo da tática do Barcelona, que não está disposto, a princípio, a entrar em uma negociação que consideraria fora de seus parâmetros, por mais que exista a suspeita de um interesse do Real Madrid por dinamitar a operação e fazer a contratação do craque.