<
>

Presidente do Grêmio se incomoda com alteração de jogo do Palmeiras, pede igualdade e diz: 'Gera suspeição'

play
Romildo pede tratamento igual ao Grêmio e suspeita de mudanças de datas de jogos do Palmeiras (1:00)

'Desmontar o calendário e beneficiar somente um clube, gera suspeita' (1:00)

Em entrevista coletiva realizada nesta terça-feira, o presidente do Grêmio, Romildon Bolzan, convocou a torcida para a semifinal da Copa do Brasil contra o Athletico-PR, nesta quinta-feira, e comentou o pedido de adiamento da partida contra o próprio time paranaense, pelo Campeonato Brasileiro.

Sem resposta oficial da CBF sobre o atendimento do pedido, o mandatário do clube gaúcho deixou clara a sua insatisfação com a situação.

“O Grêmio fez manifestação por escrito a respeito disso quando aconteceu o adiamento da rodada para o Palmeiras. Sinceramente, nós entendemos que é um privilégio, então que este privilégio seja estendido para nós. Sugerimos duas datas que pudessem ser alternativas a esta questão, e estamos no aguardo dessa posição”, explicou o presidente gremista.

Ele se refere à partida entre Palmeiras e Fluminense, que havia sido marcada para o dia 25 de agosto, mas foi adiada por conta dos jogos decisivos que envolvem as duas equipes na Copa Libertadores e na Sul-Americana, respectivamente. Com isso, o Palmeiras ganhou uma semana sem jogos para se preparar para a partida contra o Grêmio, nas quartas de final do torneio continental.

Já a partida que o Grêmio gostaria de adiar, contra o Athletico Paranaense, acontece entre os dois jogos contra o Palmeiras. Segundo Bolzan, o Tricolor gaúcho já enviou datas alternativas nas quais a CBF poderia realizar o jogo.

“Eu vi hoje que surgiu uma série de informações inclusive dizendo que isso não ia ser aceito pela CBF. Nós não recebemos nada oficialmente ainda, mas no momento que recebermos oficialmente, vamos nos posicionar, se isto for verdade”, declarou. Entendendo a situação como um benefício ao Palmeiras, o dirigente prosseguiu: “Mas é claro que o Grêmio permanece com este raciocínio, de que qualquer alteração que possa desmontar o calendário e beneficiar somente um clube nos gera suspeição, suspeita, e a gente tem que trabalhar o assunto como um privilégio, sim. Vamos buscar o nosso posicionamento bem claro a respeito disso, buscando um tratamento igualitário. Essa é a questão”.

Por fim, Romildo Bolzan exigiu respeito ao Grêmio e disse que, caso a solicitação realmente não seja atendida, o clube se reunirá pessoalmente com a diretoria da CBF para se manifestar. “Vou lá com ênfase e força caso se confirme esta negativa”, concluiu.