<
>

Odebrecht fala em 'conversas construtivas', mas não em acordo com Corinthians por dívida da Arena

play
Arena Corinthians com dívida reduzida em novo acordo: Ortega traz bastidores do anúncio de Andrés (1:39)

Presidente apresentou números em reunião do conselho na última segunda-feira (1:39)

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, anunciou na noite de segunda-feira, diante do Conselho Deliberativo do clube, um acordo com a Odebrecht para a redução da dívida alvinegra referente à Arena. A construtora, porém, é mais cautelosa ao falar sobre o assunto.

Em contato com a ESPN, a empresa confirmou “conversas construtivas” com a equipe paulista, mas sem cravar o acerto como antecipou-se o dirigente corintiano.

“A Odebrecht reforça que continua mantendo conversas construtivas com o clube em busca de uma solução que atenda à expectativa de ambas as partes”, disse a empreiteira, através de nota enviada por sua assessoria de imprensa.

Responsável pela construção do estádio de Itaquera, a Odebrecht entendia que deveria receber do clube um total de R$ 1,030 bilhão.

Segundo informação repassada por Andrés Sanchez aos conselheiros, com o acordo, o clube reduz a dívida para aproximadamente R$ 130 milhões.

A ideia do Corinthians para reduzir a dívida consiste em repassar os CIDs (Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento) à Odebrecht e descontar os compromissos não cumpridos pela construtora.

O documento que formaliza o acordo entre as partes deve ser devidamente oficializado nos próximos dias.

Na reunião de segunda-feira, Sanchez esclareceu ainda que o Corinthians deve R$ 470 milhões ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), valor que vem sendo pago com a renda dos jogos.

No total, portanto, a dívida em torno da Arena, ainda sem os esperados naming rights, gira em torno de R$ 600 milhões.