<
>

Malcom desmente saída do Zenit, abre portas até para defender Rússia e faz top 5 do futebol sem brasileiros

As primeiras semanas do brasileiro Malcom com o Zenit têm sido extremamente agitadas.

Logo em sua estreia, o ex-jogador do Barcelona entrou em campo enquanto a torcida do clube russo fazia protestos racistas e pedia para que as "tradições" do Zenit fossem respeitadas.

Em seguida, rumores de uma possível venda tomaram conta de jornais, mas as notícias foram chamadas de "fake news".

Agora, o próprio Malcom falou sobre o caso, garantiu estar feliz no Zenit e disse até que pensa em defender a seleção da Rússia.

"Quero ficar aqui", disse ele ao portal russo Sport24. "Cumprir meu contrato, fazer história. O que dizem no Brasil é mentira. Estou feliz no Zenit, é um momento importante para mim."

"Não sei (sobre o futuro), tudo pode acontecer. Se a seleção brasileira não me chamar, mas a russa demonstrar interesse, então, tudo pode acontecer", seguiu Malcom.

Messi o melhor e negociação com o Barcelona

Além da polêmica, o brasileiro também foi questionado sobre sua ida para o Barça depois de se acertar com a Roma.

"Esse caso entrará para a história. Meu empresário fechou com a Roma, tudo estava pronto. De repente, o Barcelona apareceu, e o Bordeaux aceitou a oferta. Eu não escolhi, fui para o Barcelona. Mas posso dizer que foi um sonho jogar pelo Barça", explicou ele, que também fez muitos elogios a Lionel Messi.

"O melhor jogador da minha geração. E ele, como homem, merece tudo que tem. Profissionalismo, talento, qualidade. Fico feliz por ter jogado ao lado dele. Para mim, era como um espelho, porque ele joga na mesma posição."

Malcom ainda palpitou uma lista dos cinco melhores jogadores do mundo na atualidade: "Messi, Cristiano Ronaldo, Mbappé, Ter Stegen e Kanté".