<
>

Marcos Braz revela que conversou com Balotelli por vídeo, mas admite 'complexidade' do atacante

play
'Não entendo como deixaram voltar ao Brasil': Jesus exalta Gabigol e compara situação com a de Bruno Fernandes e Gerson (0:58)

Treinador diz que já passou por algo parecido com times italianos (0:58)

Após a vitória por 3 a 1 do Flamengo, o vice presidente rubro-negro, Marcos Braz, abriu o jogo sobre a chegada de Balotelli e revelou conversa por vídeo com o atacante italiano.

O dirigente afirmou que é uma negociação "complicada", mas o jogador aceitou uma vinda ao Campeonato Brasileiro: "De pronto ele falou que gostaria de jogar no Brasil e que se a gente chegasse a um acordo não teria nenhum problema, nenhum desconforto dele. Não seria demérito ele sair da Europa".

"É uma negociação que não é tão fácil, é complicada. É estrangeiro, envolve outros cuidados, até na parte dos documentos. Mas não está nem perto disso aí", afirmou. "Não quer dizer que esteja perto ou longe, não posso falar muito. De fato, o Flamengo tem interesse, mas não tem nada oficial".

Braz também comentou alguns detalhes sobre a chegada, além da "complexidade" do atacante: "Ainda temos que ver tempo de contrato, questões que tem que se tomar cuidado em relação ao processo dele. É um jogador que a gente sabe, não vou falar problemas, mas tem complexidade para administrar as questões".

"Não tenho problema nenhum com isso, consegui administrar outros jogadores. Ele tem um nível muito bom, os últimos dois anos dele não têm nada a ver com os outros anos inquestionáveis", completou.

O vice presidente confirmou que caso se sintam confortáveis, ele e Bruno Spindel, diretor de futebol, viajarão para a Europa para negociar. Porém, caso não aconteça o negócio, "não pode ter nenhum tipo de frustração" e o elenco "acima da média" que tem a disposição conseguirá disputar as competições.

Além disso, admitiu que não existe um 'plano B' para reforçar ainda mais o ataque. Apesar do pedido de Jorge Jesus, Braz afirma que em "nenhum momento prometeu que ia dar a qualquer custo": "Se puder contratar, vamos. Se não, vamos com esse elenco".