<
>

Jornal cita provocação de presidente do Flamengo a Boca Jrs e River: 'Jogo sujo pensando em final?'

A entrevista dada por Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, à FOX Sports, na última segunda-feira, repercutiu de forma forte na Argentina.

Questionado sobre a questão das arbitragens na Libertadores e dos bastidores da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), o cartola não citou nomes, mas fez uma acusação que foi entendida em Buenos Aires como uma ironia a Boca Juniors e River Plate.

"Não temos preferência por nenhum árbitro. Se vamos 'conversar' na Conmebol? Não. O Flamengo tem representantes que vão continuamente à Conmebol, mas não é como alguns clubes argentinos que têm pessoas que trabalham lá dentro", disparou Landim.

O jornal Olé, como era de se esperar, repercutiu a fala.

"Landim deixou na entrelinhas que River e Boca têm gente 'trabalhando' dentro da Conmebol. Estaria ele jogando sujo pensando em uma hipotética final?", questionou o diário.

Vale lembrar que, por causa do chaveamento, só há chance de haver um River Plate x Flamengo ou Boca Juniors x Flamengo em uma final do torneio continental.

Em seguida, o veículo destacou a gastança rubro-negra nas últimas semanas.

"O Flamengo está se armando até os dentes. O time quer, seja como for, voltar a se fortalecer no Brasil e, por que não, em 1981, quando foi campeão da Libertadores pelas mãos de Zico ao derrotar o Cobreloa", escreveu.

"O Flamengo vai com tudo. Custe o que custar. Já contratou Rafinha e Filipe Luís. Agora, vai atrás de Mario Balotelli. E não para! Agora, quer mostrar poder nos bastidores para evitar o fechamento do Maracanã depois de um par de excessos no jogo contra o Emelec, nas oitavas de final", completou.

Vale lembrar que a Conmebol abriu processo contra o Fla pelo uso de sinalizadores e bombas por torcedores dentro do do Maracanã. Com isso, o clube pode ficar sem o estádio nas próximas partidas da Libertadores.

O clube da Gávea enfrenta como mandante o Internacional pelas quartas de final no dia 21 de agosto, quarta-feira. O time rubro-negro tem até o dia 9 para enviar as suas alegações para a Conmebol.

A equipe carioca jogou com portões fechados por dois jogos na Libertadores de 2018 por causa de um episódio de invasão e vandalismo na final da Copa Sul-Americana de 2017, contra o Independiente. Além disso, a equipe recebeu multa de US$ 300 mil.