<
>

Grêmio recebe menino e mãe vítimas de agressão no Gre-Nal

play
Renato valoriza objetivos alcançados pelo Grêmio, mas reconhece que equipe ainda precisa melhorar (2:58)

Treinador ainda criticou o calendário brasileiro por colocar tr~es competições decisivas ao mesmo tempo (2:58)

O Grêmio recebeu nesta terça-feira no CT Presidente Luiz Carvalho o menino Bernardo e sua mãe, que foram vítimas de agressão no Beira-Rio depois do Gre-Nal do último sábado.

Acompanhados do pai e do irmão do menino, eles conheceram as instalações do clube e foram recebidos pelo elenco e pela comissão técnica do Tricolor Gaúcho. O menino recebeu uma camisa oficial do Grêmio das mãos do técnico Renato Portaluppi.

Em suas redes sociais oficiais, o clube publicou fotos e divulgou a visita da família.

O CASO

A torcedora do Internacional que foi flagrada empurrando a mãe de uma criança torcedora do Grêmio no Beira-Rio no último sábado, no empate no Gre-Nal, deu sua versão para o episódio. Segundo ela, a intenção era “preservá-los”, já que a camisa tricolor “estava incitando a violência”.

“Após finalizar o jogo, fiquei dentro do estádio, aguardando alguns minutos, por causa do congestionamento. Então avistei a torcedora agitando a camisa do Grêmio em direção à torcida do Grêmio. Fui ao encontro dela e comecei a gritar para baixar a camiseta e disse que ali não era o lugar dela”, disse, em entrevista ao jornal “Zero Hora”, sob condição de anonimato.

A torcedora disse que é sócia do Internacional, mas que não pertence ao grupo Inter Antifascista, do qual vestia cachecol no momento da agressão. Sobre a mãe agredida, ela reforçou as desculpas.

“Se tivesse possibilidade, encontraria com certeza. Quero deixar um pedido de desculpas. Não procurei informações sobre quem é. Só quero deixar claro meu pedido de desculpa e não queria agredir ninguém. Só queria que baixassem a camiseta, por questões de segurança”, concluiu.