<
>

Filipe Luís se despede do Atlético de Madrid, mas não confirma acerto com o Flamengo

play
Marcos Braz explica negociação com Filipe Luís e diz: 'O Flamengo não se apequenou' (3:20)

Vice-presidente também falou sobre a estratégia e direcionamento da equipe em transferências (3:20)

Apesar dos fortes rumores e da iminência de um anúncio oficial, tanto Filipe Luís quanto o próprio Flamengo mantém muita cautela no que diz respeito a um acerto entre as partes. Neste domingo, em sua despedida do Atlético de Madrid, o lateral-esquerdo admitiu conversas avançadas com o Rubro-Negro, mas evitou cravar sua mudança para o Rio de Janeiro.

“Ainda não assinei o contrato. Temos conversas avançadas, mas ainda não assinei com ninguém. Nos próximos dias tomarei a decisão. Hoje é um dia para agradecer, um dia de despedida, e de deixar as portas abertas. Nos próximos dias falarei sobre o futuro”, disse Filipe Luís, que foi novamente questionado sobre o interesse do Rubro-Negro em outro momento.

“Realmente negociamos, temos conversas, mas não está nada assinado. Quando um clube como o Flamengo liga, tem que escutar”, completou o lateral-esquerdo, que adota o mesma cautela que a diretoria do Flamengo, evitando dar maiores detalhes sobre um suposto vínculo até 2021.

O evento de despedida do lateral após oito temporadas vestindo as cores do Atlético de Madrid também foi marcada por homenagens. Das mãos do capitão Koke, o lateral recebeu uma placa, além de posar para fotos com nomes como Morata, o goleiro Oblak, o técnico Diego Simeone e o presidente e proprietário do clube espanhol. A família do brasileiro também esteve presente.

“A decisão (de deixar o Atlético de Madrid após oito temporadas) foi tomada com muita calma. Sempre me coloquei à disposição do clube. Repassamos estes oito anos e decidimos que era o momento de separar os caminhos. Isso foi o que aconteceu”, explicou Filipe Luís.

Nas oito temporadas que defendeu o clube colchonero, o lateral brasileiro conquistou somou 333 partidas pelo clube, se tornando o 18º jogador que mais defendeu as cores da equipe madrilenha, e conquistou sete títulos: três vezes a Supercopas da Europa (2010, 2012 e 2018), duas vezes a Europa League (2012 e 2018), uma Copa do Rei (2013) e uma LaLiga (2013-14).