<
>

Carlos Vinícius era sexta opção na zaga do Palmeiras; agora, é atacante e reforço do Benfica

O Benfica anunciou, na manhã deste sábado, a contratação do atacante brasileiro Carlos Vinícius por 17 milhões de euros (R$ 71,5 milhões). O jogador, que terá multa contratual de impressionantes 100 milhões de euros (R$ 421 milhões) foi revelado pelo Palmeiras no Brasil, mas era zagueiro.

Isso mesmo: o reforço que pode ser o sucessor de Jonas, que se aposentou, em um dos maiores clubes de Portugal começou a carreira na zaga. E mais: sem destaque. Há quatro anos, em 2015, no time sub-20 alviverde, Carlos Vinícius era apenas a sexta opção entre os jovens defensores.

Foi então que o técnico Marcos Valadares sugeriu a troca de função. “Sempre tive facilidade para me adaptar às posições. No Palmeiras, eu estava como zagueiro, mas o Marcos Valadares chegou e me perguntou se eu não queria uma chance para jogar de atacante”, relembrou, ao “Globo Esporte”.

Foi já como atacante que Carlos Vinícius estreou como profissional, mas em clubes menores do Brasil – Caldense e Grêmio Anápolis. Se transferiu para Portugal em 2017, ao Real SC e, enfim, se destacou: 20 gols em 38 jogos, chamando a atenção do Napoli, que o contratou por R$ 17 milhões.

Sem espaço no clube italiano, porém, foi emprestado para o Rio Ave, também de Portugal, e na última temporada ao Monaco. Agora, assinou com o Benfica por cinco temporadas, até 2024.

"O sentimento é de um sonho realizado por chegar a um Clube enorme do futebol europeu e mundial", celebrou o brasileiro ao site oficial do Benfica.

"A experiência de já ter passado por alguns clubes é boa para mim, para a minha carreira e agora procuro agregar tudo isso ao Benfica. Eu e a minha família sentimo-nos bem aqui em Portugal, sinto-me à vontade. Agora defendo as cores do Benfica, defendo esta nação e é procurar dar tudo num país que me acolheu muito bem, acolheu muito bem a minha família”, garantiu.