<
>

Galiotte aprova Leila como sucessora no Palmeiras, relembra 'Paulistinha' e cutuca rivais por Crefisa

O mandato de Maurício Galiotte se encerrará no final de 2021, e ele parece ter encontrado a sua substituta. Em entrevista ao Sportv, o atual presidente do Palmeiras apoiou a candidatura de Leila Pereira.

"Em princípio, nós estamos queimando a largada em relação a esse assunto, porque ela não lançou a candidatura", afirmou o dirigente.

"Eu acho que a Crefisa agregou demais ao Palmeiras, inclusive, até como elemento de transformação. Além de patrocinadora, é uma grande parceira do clube. Nós temos o maior patrocínio da América do Sul", acrescentou.

"A Crefisa contribuiu muito, a Leila Pereira e o próprio José Roberto Lamacchia, contribuíram muito com o clube. À luz do estatuto, obedecendo todas as premissas do estatuto, se tiver que ser candidata, eu acho que, para o Palmeiras, tudo que a Leila fez será da mesma maneira se um dia ela for presidente do clube", complementou.

Mesma dando o seu apoio a atual presidente da Crefisa, Galiotte evidenciou que seu mandato ainda não acabou. "Não sei se ela será presidente do clube, como eu disse, faltam dois anos e meio", lembrou.

Além de conceder apoio a uma possível candidatura de Leila Pereira, o presidente os rivais com a presença do patrocínio da Crefisa, afirmando que o acordo também é benéfico para a patrocinadora.

"O valor da Crefisa é significativo, importante, realmente, mas se eu perguntar aqui para todos qual é o patrocinador da camisa dos cinco primeiros times que estão no Campeonato Brasileiro será que todos respondem quem é que está no máster dos cinco primeiros colocados? Dos 10?", perguntou Galiotte

"Provavelmente, a resposta de vocês vai ser: 'Não me lembro desse, não me lembro daquele'. E no Palmeiras todo mundo vai saber. É um patrocínio que tem vulto, tem visibilidade. É importante para o clube e é importante também para o parceiro."

O caso 'Paulistinha'

Após perder o clássico para o Corinthians na final do Campeonato Paulista em 2018, Maurício Galiotte mostrou seu descontentamento com a arbitragem da partida. O presidente evidenciou que a disputa estava 'manchada' e mandou a torcida esquecer o "Paulistinha".

Na noite de sábado, Galiotte tentou explicar o caso. "Naquele momento, tentei passar ali para o torcedor que nosso projetos são muito maiores do que aquele campeonato", afirmou o dirigente.

"É piada em todos os lugares que eu vou, todo mundo sabe o que aconteceu ali. O que eu disse naquele momento é porque diminuíram, na minha opinião, o tamanho do campeonato", complementou.

Galiotte ainda foi perguntado se estava convicto de uma interferência interna na final: "Sim. Não tenho nenhuma dúvida", respondeu.