<
>

Copa América: Gamarra critica federação do Paraguai por 'abaixar as calças' para Juan Carlos Osorio

play
Jogo contra o Paraguai foi o segundo jogo com mais finalizações da Era Tite; Primeiro foi derrota para a Bélgica (2:13)

Seleção brasileira sofreu nas duas partidas em que mais chutou a gol (2:13)

Ídolo de Corinthians, Internacional e Flamengo, o ex-zagueiro Carlos Gamarra fez fortes críticas neste sábado ao presidente da Associação Paraguaia de Futebol (AFP), Robert Harrisson, e disse que o dirigente "abaixou as calças" ao contratar o técnico colombiano Juan Carlos Osorio.

"Osorio veio para o Paraguai sem querer porque não tinha outra opção. Disse durante todo tempo que se a Colômbia lhe abrisse as portas, ele gostaria de voltar. Nessas condições, não deveriam contratá-lo", disse Gamarra em entrevista concedida à Agência Efe no Rio de Janeiro.

Osorio, ex-São Paulo, comandou o México na Copa do Mundo da Rússia. Depois do Mundial, assinou com o Paraguai no dia 3 de setembro de 2018, mas deixou a 'Albirroja' 163 dias depois, alegando "razões familiares".

"Sempre disse que o presidente da Associação Paraguaia abaixou as calças para Osorio. O Paraguai tem história e é preciso respeitá-la. O presidente da AFP deveria ter respeitado isso. Não se pode trazer um técnico que está pensando em outra seleção", criticou o ex-zagueiro.

A saída precoce de Osorio atrapalhou a preparação do Paraguai para a Copa América. Após a saída do técnico colombiano em fevereiro, a 'Albirroja' foi atrás do argentino Eduardo Berizzo, que levou o time até as quartas de final do torneio, sendo eliminado nos pênaltis para o Brasil.

"Tinham que ter agarrado Berizzo já nessa época. Hoje, ele teria um ano e meio de trabalho com esta seleção", disse Gamarra. Apesar de ter gostado da escolha de Berizzo, Gamarra explicou que o técnico argentino vive um dilema. Para o ex-zagueiro, o comandante da 'Albirroja' é defensor de esquemas ofensivos e precisará lidar com o DNA defensivo do futebol paraguaio.

"O paraguaio conhece suas limitações. Todos queremos garra, paixão e amor pela camisa, e Berizzo gosta de jogo vertical. Nós gostamos de defender, fechar linhas, esperar. Ele terá que trabalhar muito e mudar um pouco seu sistema de jogo, adaptar-se ao futebol paraguaio para que tenha sucesso", sugeriu Gamarra.

O ex-capitão considerou que Berizzo errou no jogo contra o Catar, que terminou em empate por 2 a 2, ao não colocar o Paraguai no campo de defesa quando a 'Albirroja' vencia por 2 a 0.

"Poderíamos ter nos classificado tranquilamente e ter jogado as quartas de final contra a Venezuela, não encarando o Brasil", ressaltou Gamarra.