<
>

"Não temos escolha a não ser aceitar decisão", diz Milan sobre exclusão

play
Jogaço na MLB, 'Chinesão' e festival de Linha de Passe: confira os destaques do WatchESPN (0:53)

Mariana Spinelli te deixa por dentro da programação no final de semana (0:53)

Após receber o anúncio de que foi excluído da Liga Europa na próxima temporada, o Milan usou seu site oficial para debater e acatar a decisão do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS). Em nota, o clube diz reconhecer que não há outra escolha senão aceitar as sanções.

“Embora entristecidos pelo fato de nossos torcedores não conseguirem ver sua equipe competir nas competições europeias na próxima temporada, o clube reconhece e respeita a FFP. O Clube reconhece que não tem outra escolha senão aceitar as sanções, pois procura forjar um caminho de volta ao pleno cumprimento”, diz parte do comunicado.

Nesta manhã, o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) anunciou a exclusão do clube italiano por conta de violação no fair play financeiro. Os rossoneros foram os quintos colocados no Campeonato Italiano e tinham conquistado a vaga na fase de grupos do torneio.

O Milan foi considerado culpado em abril por desrespeitar as regras de equilíbrio econômico da Uefa nos últimos três anos, mas tinha apelado ao TAS, disputou a Liga Europa, mas acabou sendo eliminado ainda na fase de grupos. A notícia não é boa para o brasileiro Lucas Paquetá, que foi contratado com status de estrela para disputar competições internacionais.

Agora, quem herda sua vaga na Liga Europa é a Roma, que havia ficado em sexto lugar, enquanto o Torino, sétimo, entra na fase preliminar.

Confira abaixo a nota na íntegra:

O Tribunal de Arbitragem do Esporte (TAS) emitiu um termo de consentimento que ratifica a aceitação voluntária do Milan (o “Clube”) de um ano de exclusão das competições da UEFA, na resolução de violações dos Regulamentos de Licenciamento de Clubes e Fair Play Financeiro da UEFA nos períodos trienais 2014-2017 e 2015-2018.

O acionista atual assumiu a propriedade do Clube em julho de 2018, herdando perdas acumuladas substanciais depois que o antigo proprietário do AC Milan não cumpriu as obrigações de dívida. Estas perdas e a violação associada às regras da FFP, como consequência de ações tomadas sob a propriedade anterior, levaram a sanções da UEFA. Embora entristecidos pelo fato de nossos torcedores não conseguirem ver sua equipe competir nas competições europeias na próxima temporada, o clube reconhece e respeita a FFP. O Clube reconhece que não tem outra escolha senão aceitar as sanções, pois procura forjar um caminho de volta ao pleno cumprimento.

O Milan continua empenhado em restituir o clube ao seu lugar no topo do futebol europeu. A decisão de hoje servirá como um estímulo para maximizar os esforços para se tornar totalmente compatível com a FFP, ao mesmo tempo em que consolida a competitividade do clube e fará com que o Milan volte à sustentabilidade e a um futuro mais positivo.