<
>

Okazaki se entristece com críticas por Japão jogar Copa América: 'São totalmente injustas'

Após a eliminação do Japão na Copa América, com o empate por 1 a 1 com o Equador, no Mineirão, na última segunda-feira, o atacante Shinji Okazaki, campeão da Premier League em 2015/16 com o Leicester City, rebateu as críticas sobre a participaçào da seleção asiática no torneio da Conmebol.

Nos últimos dias, o técnico do Paraguai, Eduardo Berizzo, reclamou da presença de Japão e Catar entre as seleções que disputam a Copa América, posição que ganhou coro depois com o treinador Rafael Dudamel, da Venezuela.

Okazaki, porém, foi na mesma linha do técnico Hajime Moriyasu, que enalteceu o fato dos japoneses terem sido convidados pela Conmebol e agradeceu pela oportunidade.

Na zona mista do Mineirão, o centroavante se mostrou triste com os comentários feitos por Berizzo e Dudamel, e ressaltou o fato dos nipônicos terem se mostrado um desafio à altura para os sul-americanos, mesmo jogando muito longe de casa.

"A verdade é que nós temos um time de grande potencial. Eu acho que tínhamos condições de passar à próxima fase", disse o atacante, que fala inglês por atuar na Inglaterra.

"No jogo de hoje (segunda, contra o Equador) tivemos muitas chances. E, se a gente tivesse conseguido marcar ao menos mais um gol, estaríamos na próxima fase", observou.

"É totalmente injusto o que dizem sobre Catar e Japão (jogarem a Copa América). Nós lutamos muito aqui e demos o nosso melhor. Mostramos que somos um bom desafio e respeitamos muito a Copa América. Somos muito gratos pelo convite, e demos tudo o que tínhamos", complementou.

Japão e Catar, porém, estão eliminados da Copa América.

As quartas de final terão Brasil x Paraguai, Argentina x Venezuela, Uruguai x Peru e Chile x Colômbia.