<
>

Holandês que despreza brasileiros agora ataca Messi: 'Quantas Champions ganhou o dito melhor do mundo?'

play
'Não há Messi que dê jeito nessa Argentina', diz Mauro Cezar Pereira (1:10)

Comentarista analisou momento da seleção argentina do camisa 10 (1:10)

Louis van Gaal não é conhecido no meio do futebol por “fazer política” com suas declarações. Em recente entrevista ao diário El País, o holandês, que ficou muito conhecido por preterir jogadores brasileiros, atacou Lionel Messi e também Neymar.

Ao ser questionado sobre a importância do jogo coletivo e as capacidades individuais dos atletas, Van Gaal defendeu o coletivismo usando o argentino e o brasileiro como exemplos.

“Olhe o Barcelona. Quantas Champions ganharam com o que dizem ser o melhor jogador do mundo? Olhe Neymar no PSG. Quantas Champions ganhou? Gosto de Neymar e Messi como jogadores individuais, não como jogadores de equipe. Creio que nos jogos coletivos não há nada mais importante que o jogador de equipe”, afirmou.

“Acredito que Messi deveria se perguntar como é possível que passe tanto tempo sem ganhar uma Champions. Gosto do Messi como jogador individual. É o melhor jogador individual do mundo, porque suas estatísticas são assombrosas. Gosto. Mas, por que não ganha a Champions há cinco anos? Por que? Como capitão, deveria perguntar-se por que a equipe não ganha na Europa”, disse.

“O Barça tem um elenco maravilhoso. Não pode dizer que Rakitic seja ruim, nem que Coutinho seja ruim, o que Alba seja um jogador ruim, o Ter Stegen como um goleiro ruim, ou Arthur, ou Vidal. Acredito que Messi também seja responsável pelo que está acontecendo com o Barcelona”, completou.

Ao ser questionado sobre qual seria o melhor jogador de equipe, Van Gaal apontou James Milner, do Liverpool, destacando que é impressionante o que ele faz em campo mesmo aos 33 anos.

“(O Barcelona) Tem um elenco com 30 jogadores e creio que Messi deve se adaptar à equipe, e não o contrário. Guardiola fez ele jogar para o bem da equipe, mas os últimos treinadores se adaptaram demais a Messi ao invés de proteger o espírito de equipe”, analisou.