<
>

Apresentado na Juventus, Sarri se diz feliz em coroar trajetória no 'clube mais importante' da Itália

A Juventus apresentou oficialmente seu novo técnico para a temporada, o napolitano Maurizio Sarri, de 60 anos. Experiente e com passagens por Napoli e Chelsea, ele celebrou seu retorno à Itália e disse que a Velha Senhora coroa sua trajetória como treinador.

“Estou feliz por estar aqui. Em Nápoles, eu dei tudo, profissional e moralmente, porque nasci lá e sempre apoiei essa equipe. Nos últimos meses, porém, tive mais de uma dúvida, dualismo entre afeição e racionalidade que me dizia que o ciclo iria acabar. Recebi ofertas italianas, mas preferi a maravilhosa experiência da Premier League. Senti a necessidade de retornar à Itália por motivos pessoais. A Juventus, clube mais importante daqui, me ofereceu esta oportunidade”, disse em coletiva de imprensa nesta manhã.

Ao lado de Fabio Paratici, diretor esportivo do clube, Sarri comentou sobre como pretende trabalhar, além de afirmar que vai armar um esquema a partir de Cristiano Ronaldo e Dybala e outros talentos, como o brasileiro Douglas Costa.

“Espero levantar todas as manhãs e estudar como ganhar jogos. Não é algo fácil: vencer de novo é sempre mais difícil do que vencer. A Juventus tem a obrigação de sair para ganhar sempre, mas ciente do coeficiente de dificuldade. É necessário se basear nos talentosos, nos jogadores ofensivos. Cristiano Ronaldo, Dybala, Douglas Costa são potenciais jogadores top”, avaliou.

Confira outros trechos da coletiva:

Força da Juventus

“Quando a Juve me ligou, tive um sentimento forte: nunca tinha visto um clube tão determinado em me querer com eles. Determinação, convicção e compacidade são aspectos que também encontrei nesses primeiros dias em Turim”.

Jogar contra a Juve

“Por três anos eu acordei e pensei em como derrotar a Juventus, porque era a equipe vencedora. Eu dei meus 110%, mas não consegui. É uma experiência acabada e meu profissionalismo agora me leva a dar tudo por esse clube”.

Legado de Massimiliano Allegri

“Ele deixa um legado pesado. Ganhar o que ele ganhou é muito difícil. Ele alcançou resultados extraordinários e eu gostaria de ver na equipe essa capacidade de resolver as dificuldades com a lucidez que ele transmitiu”.

Dedo do meio a torcedores

“O episódio do dedo do meio foi um erro claro da minha parte, uma reação exagerada, mas foi bem explicada imediatamente. Eu me excedi na reação a 10, 15, 20 estúpidos, não contra todos os fãs da Juve. Eu nunca tive nada contra os torcedores da Juventus”.