<
>

Vizinhos do futuro estádio do Atlético-MG fazem até abaixo-assinado para obra começar logo

Os torcedores do Atlético-MG sonham com o dia do início da construção da Arena MRV, futuro estádio do clube. Mas está difícil que este sonho vire logo realidade...

No momento, as obras, que já deveriam ter começado há meses e que eram previstas para terminarem em 2020, estão embargadas desde maio devido a uma determinação do MPMG (Ministério Público de Minas Gerais).

O órgão entrou com ação cautelar de urgência em função dos "riscos de danos ambientais irreversíveis" que prevê que ocorrerão com a construção da arena no terreno escolhido pelo Galo, que fica em uma APP (Área de Preservação Permanente).

Ainda em maio, a MRV Prime, empresa responsável pela construção do empreendimento, publicou nota oficial rebatendo o Ministério Público.

Já na última terça-feira, o MPMG anunciou que haverá uma audiência pública para discutir a questão no dia 18 de junho. Até lá, porém, é certo que as obras permanecerão exatamente como estão: inexistentes.

A ESPN visitou o terreno onde o Atlético planeja erguer seu estádio, e de fato não existe qualquer movimentação relevante.

Até foram colocados tapumes e placas, o que é permitido pela licença prévia que o time já possui, mas não há trabalhos de máquinas ou operários de construção, o que só será permitido quando for obtida a licença de implantação.

No local onde um dia os torcedores alvinegros farão sua festa, por enquanto há só árvores, mato e lixo.

O planejamento do Galo, porém, é iniciar a terraplanagem entre setembro e outubro.

MORADORES QUEREM CONSTRUÇÃO

A reportagem conversou com diversos moradores e pessoas que trabalham no bairro Califórnia, na periferia de Belo Horizonte e onde ficará a Arena MRV, e as opiniões foram unânimes: todos querem que o projeto saia logo do papel.

Na opinião de quem conhece bem as redondezas, a construção do estádio resolverá diversos problemas do local, como as parcas opções de transporte público, creches e serviços de saúde, além do saneamento básico deficiente.

Afinal de contas, a promessa é que, junto com o moderno empreendimento esportivo, serão feitas também diversas melhorias na infraestrutura do Califórnia, sendo a mais aguardada a construção de um posto médico.

Dona do Restaurante da Bia, que resiste há 14 anos no local, a empresária Beatriz do Carmo aguarda ansiosamente pelo início das obras.

"O estádio vindo para cá vai ser ótimo para mim, que sou comerciante, mas também para a região, que é muito carente. Vai ser ótimo, com certeza", avaliou, em entrevista à ESPN.

De acordo com Beatriz, moradores do bairro fizeram recentemente até um abaixo-assinado que foi entregue aos órgão competentes para que os trâmites burocráticos sejam agilizados e o projeto finalmente saia do papel.

Poucas pessoas, aliás, estão tão por dentro dos planos da Arena MRV quanto a dona do restaurante, que costuma conversar com os engenheiros que visitam seu estabelecimento durante a semana para almoço.

"O projeto eu já até conheço, vai ter creche, posto de saúde... E já há também um projeto para o trânsito, com uma via expressa", conta.

A expectativa é que o campo atleticano traga benefícios palpáveis para todos no local, principalmente na questão do transporte. Atualmente, apenas duas linhas de ônibus atendem o Califórnia, e quem não tem carro ou moto se complica.

"Hoje, é muito precário para chegar aqui. Os horários são horríveis. Tenho funcionários que por vezes para eles é até complicado de ir embora", lamentou.