<
>

Chelsea: Possível substituto de Hazard, Hudson-Odoi tem apenas 18 anos e foi formado na base do clube

play
Substituto de Hazard? Promessa do Chelsea pode ser 'soluçao dos problemas' (0:49)

Jovem inglês vem ganhando espaço no time londrino (0:49)

A próxima temporada promete ser recheada de desafios para o atual campeão da Uefa Europa League, o Chelsea. Punido pela Fifa por contratar irregularmente jovens estrangeiros e após anunciar a saída de seu principal jogador, Eden Hazard, a equipe londrina terá de tirar o melhor do elenco que já tem para tentar conquistar algo em 2019/2020.

Olhar para dentro, no entanto, não é uma das especialidades dos Blues. Acostumado a contratações caras e badaladas, o clube inglês é um grande produtor de talentos de base, mas faz pouco proveito de seus jovens. Não por acaso, boa parte dos meninos formados em Cobhan - centro de treinamento do time, localizado no vilarejo de Stoke d'Abernon, a 35 km de Londres - é vendida, e os que ficam são emprestados ou recebem chances pontuais na primeira equipe.

Callum Hudson-Odoi, no entanto, pode se tornar mais um ponto fora da curva, assim como John Terry e Ruben Loftus-Cheek. Com a saída de Hazard, o Chelsea precisará de uma nova referência, e, segundo o jornal inglês Daily Mail, o jovem de 18 anos foi o escolhido para desempenhar a função e herdar a camisa 10.

De qualquer forma, os londrinos também buscaram outra alternativa para o setor antes mesmo da saída de Hazard. Em janeiro, desembolsaram 57,6 milhões de libras por Christian Pulisic, que permaneceu emprestado ao Borussia Dortmund até o fim da temporada, e agora se juntará ao novo time.

A substituição, de acordo com David Luiz, é justa apesar de não ter o efeito imediato que se gostaria. Após a final da Europa League na última quarta-feira (29), o zagueiro comentou a saída do belga e a escolha de Hudson-Odoi, reafirmando a qualidade do garoto.

“Ele [Hudson-Odoi] conhece o clube desde pequeno e tem talento o suficiente para ser como Eden no futuro”, declarou o zagueiro brasileiro ao jornal inglês The Guardian. Grande revelação dos Blues no último ano, o menino inglês de descendência ganesa chegou ao clube em 2007, aos sete anos. Filho do meio do ex-jogador - e agora seu agente - Bismark Odoi, o jovem atacante é dono de um talento que impressiona quem o vê em ação.

Veloz, bom criador e habilidoso nas finalizações, Hudson-Odoi já chegou a ser comparado ao próprio Hazard em algumas oportunidades e é considerado um dos jovens jogadores mais promissores do mundo pela imprensa inglesa. Na temporada passada, quando ainda atuava na base, marcou 21 gols em 30 jogos.

Acostumado a conquistar títulos, o jovem foi fundamental para a seleção inglesa na Copa do Mundo sub-17 de 2017, na Índia, dando duas assistências na vitória sobre a Espanha por 5 a 2 na final. A atuação lhe rendeu elogios, em especial do campeão da Uefa Champions League com o Chelsea, Michael Essien. Em uma publicação no Instagram, o volante parabenizou seu “irmãozinho” pela conquista do título e se disse orgulhoso do desempenho apresentado.

Também em 2017, Hudson-Odoi faturou um Campeonato Inglês sub-18 pela equipe londrina, além de duas Copas da Inglaterra em sequência – uma em 2017 e outra em 2018, ano em que se dividiu entre o time profissional e a base.

Na equipe treinada por Maurizio Sarri, mesmo sem ser titular, o 'xodó' da torcida teve papel importante na temporada. Na Europa League, Odoi marcou quatro gols e deu duas assistências em nove jogos. Não à toa, no programa distribuído pela Uefa para a partida, o atacante figurava na lista das seis principais jovens estrelas do torneio mesmo estando lesionado.

Hudson-Odoi também é autor de um gol e duas assistências em dois jogos da Copa da Inglaterra, mas possui apenas uma assistência na Premier League, competição em que disputou dez jogos, sendo titular em um. O atacante chegou a ser convocado para a seleção profissional da Inglaterra em março deste ano, quando participou dos confrontos contra República Tcheca e Montenegro, pelas eliminatórias da Eurocopa de 2020.

Com pouco espaço no Chelsea, o atacante teve a oportunidade de ir para o Bayern de Munique em janeiro, quando os alemães fizeram uma proposta de mais de 30 milhões de libras (R$ 142 milhões) pelo atacante. O clube inglês, porém, se opôs ao negócio.

Atualmente, o valor do passe de Hudson-Odoi, que sofreu uma ruptura do tendão de Aquiles e está afastado desde abril, é de aproximadamente 25 milhões de libras (R$ 123 milhões), segundo o site Transfermarkt – é o quarto jogador mais caro do mundo entre os nascidos em 2000, atrás de Jadon Sancho, Vinicius Junior, Ryan Sessegnon e empatado com Phil Foden.

Mesmo com a negativa, as esperanças do time de Munique de arrematar o jogador numa próxima janela não foram minadas - assim como a de outros gigantes europeus. A intenção dos Blues, no entanto, indica uma relação mais duradoura do que os interessados gostariam.

Com a apresentação de Eden Hazard pelo Real Madrid, Hudson-Odoi surge para provar que existe ‘solução caseira’ para o time, em especial em situações extremas como com a punição dada pela Fifa. Resta agora aguardar o início da próxima temporada dos Blues.