<
>

Das polêmicas com o elenco à redenção na Liga Europa: a trajetória de Sarri no Chelsea

Campeão da Europa League com o Chelsea após golear o Arsenal na final, Maurizio Sarri viveu sua primeira experiência como treinador na Inglaterra. Seu jeito peculiar e forma bem pessoal de armar as equipes foram responsáveis por momentos peculiares durante a temporada.

O italiano de 60 anos nunca havia vencido um título na carreira, jejum que foi quebrado na última quarta-feira. Além disso, ele fez a equipe chegar na terceira posição da Premier LeaguePremier League e conseguir vaga na próxima edição da Champions League.

Veja como foi o "louco ano" de Sarri nos Blues:

Apresentado como treinador do Chelsea no meio do ano passado, Sarri já esbarrou em um problema. Ele é fumante compulsivo, muitas vezes acendendo cigarros até mesmo na beira do gramado. Na Inglaterra, porém, teve que abandonar esse hábito por uma proibição de fumar em locais como estádios. Por isso, foi flagrado mascando chicletes ou pontas de cigarro!

O italiano armou um esquema de jogo que logo de cara encantou a Premier League e manteve a equipe nas primeiras posições durante os primeiros meses. O ótimo começo foi elogiado por Eden Hazard, em setembro do ano passado.

“Gosto do estilo ofensivo do treinador. Nós tentamos ficar com a bola. Quando se é um jogador ofensivo, o objetivo é ficar com a bola. Nós criamos muitos passes e oportunidades. Domingo tivemos alguns problemas, mas acho que é um ótimo início de temporada”, disse o belga, em entrevista à Sky Sports.

Mas nem tudo foram flores. Após uma queda de rendimento na competição, com os Blues indo para a quarta posição, Sarri detonou seu elenco em janeiro deste ano depois de uma derrota para o Arsenal.

"Eu preferiria chegar aqui na sala de imprensa, no vestiário e falar com os jogadores e com vocês [jornalistas] sobre tática, porque perdemos hoje no sentido estratégico, mas o que me parece é que esse grupo de jogadores é extremamente difícil de motivar", disse.

Pouco depois, Sarri bateu de frente com Kepa Arrizabalaga, o goleiro mais caro da história. Na final da Copa da Liga Inglesa, o espanhol se recusou a deixar o campo para Caballero entrar para a disputa por pênaltis contra o Manchester City. O técnico ficou irritado com a situação e quase rasgou seu agasalho.

O Chelsea perdeu a decisão e Kepa foi barrado por Sarri do jogo contra o Tottenham e depois multado pelo clube. Depois, retomou sua posição de titular.

Outro episódio pitoresco ocorreu após a goleada sofrida por 6 a 0 contra o Manchester City, pela Premier League. Guardiola foi atrás de Sarri para cumprimentá-lo após e foi completamente ignorado por treinador italiano, que saiu muito irritado após o apito final.

Um dos piores momentos da temporada de Sarri foi quando o Chelsea caiu para a sexta posição do Inglês. Apelidado de "homem das 33 táticas" na Itália, ele sofreu muitos questionamento pela forma como armava sua equipe.

"Tenho que acreditar que podemos melhorar, e que temos capacidade de melhorar imediatamente. O resultado não é tudo na partida", disse Sarri, que teve suas táticas foram muito questionadas pela imprensa e torcedores dos Blues.

“É apenas a metade da primeira temporada do Sarri, mas o pior que eu posso dizer é que parece que ele transformou o Chelsea no Arsenal”, disse Jamie Carragher, ex-Liverpool, que é comentarista na Sky Sports.

Em abril, Cesc Fàbregas revelou que saiu do Chelsea para o Monaco por causa por causa “paternalismo” do técnico Maurizio Sarri com Jorginho, que disputava posição no centro do campo.

"Estava no Chelsea e poderia ter renovado meu contrato e ficado, mas o novo técnico chegou com um jogador que, para ele, era como um filho”, disse o espanhol. Sarri e Jorginho haviam trabalhado juntos no Napoli.

Na reta final da temporada, porém, o Chelsea reagiu bem. Se recuperou na Premier League, alcançando o terceiro lugar, e levou a equipe até a decisão da Europa League.

Com isso, recebeu elogios de vários jogadores como Willian, e chegou a ser especulado até mesmo na Juventus para o lugar de Massimiliano Allegri.

Mas o clima de "paz e amor" não dura tanto com o italiano!

Um dia antes da final da Liga Europa, mais uma controvérsia. David Luiz e Higuaín discutiram por conta de uma entrada dura do argentino no brasileiro, Sarri ficou irritado e, ao deixar o gramado, jogou e chutou seu boné, antes de recolhê-lo e depois entrar no vestiário.

O que poderia ser um princípio de crise, virou uma quase anedota após a goleada por 4 a 1 sobre o Arsenal na decisão do torneio.

“Eu acho que vocês não foram capazes de entender ontem. Se meus jogadores estão muito agressivos no treino, eu estou feliz, não desapontado”, declarou à emissora BT Sport.