<
>

Copa do Brasil: Guerrero marca mais uma vez, Internacional vence Paysandu e se classifica

play
Rodrigo Lindoso, do Inter, revela: 'O Guerrero profetizou que eu faria o gol' (1:11)

Meia falou da amizade com o peruano e de conversa antes do jogo contra o Paysandu (1:11)

Com vantagem confortável após vencer o primeiro jogo por 3 a 1, esperava-se até que o Internacional fosse a campo nesta quarta-feira contra o Paysandu, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, com uma equipe reserva. Entretanto, o técnico Odair Hellmann mandou a campo os titulares e eles fizeram sua parte. Confortáveis com a vantagem, os gaúchos diminuíram o ritmo da partida, administraram a questão física e garantiram a classificação com uma vitória simples por um 1 a 0.

O gol colorado foi marcado por Paolo Guerrero. O que já era tranquilo, ficou ainda mais quando Bruno Oliveira recebeu o segundo amarelo e foi expulso, praticamente acabando com as chances paraenses.

O gol do time colorado aconteceu aos 40 do segundo tempo. D´Alessandro dominou pela direita e acionou Sarrafiore. O garoto escorou para trás, nos pés de Guerrero, que emendou de primeira, sem chances para Mota.

QUEM PARA O PERUANO?

Com o gol anotado nesta quarta-feira, Paolo Guerrero chegou a incríveis oito gols em 12 aparições com a camisa colorada. Depois de ficar um ano parado por conta da suspensão por doping, o peruano voltou aos gramados no começo de abril e a impressão é de que nunca deixou de jogar. Mesmo tendo começado a atuar meses depois de seus colegas, Guerrero é o artilheiro e um dos principais nomes do Internacional na temporada.

A SECA DE NICO LÓPEZ CONTINUA

Já são doze jogos sem marcar para o atacante Nico López. O uruguaio teve boas chances de encerrar o jejum nesta quarta-feira, mas parou em boa atuação de Mota e em erros próprios na hora de finalizar. Substituído aos 15 minutos do segundo tempo, Nico saiu esbravejando, chutando o chão e visivelmente incomodado com a falta de gols. No próximo domingo, o atacante terá mais uma chance de encerrar a má fase quando o Internacional recebe o Avaí pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro.

TEVE VAR EM AÇÃO

Precisando de uma vitória por dois gols de diferença para levar a partida para as penalidades, o Paysandu tentou ir pra cima do Internacional desde o início, mas quem mais levou perigo na primeira etapa foram os gaúchos, que chegaram a ter um gol anulado pelo árbitro de vídeo.

E teria sido um golaço. Victor Cuesta lançou Nico López, que ajeitou de calcanhar para Paolo Guerrero, o peruano dominou, limpou a marcação e finalizou no ângulo de Bruno Oliveira. A arbitragem assinalou impedimento de Nico e, depois de muita reclamação dos colorados, o VAR confirmou a posição irregular do uruguaio.

GOLEIROS APARECERAM BEM

Apesar do ritmo baixo da partida, com um Internacional administrando a vantagem e o Paysandu esbarrando na questão técnica, os goleiros não deixaram de aparecer. Primeiro foi Marcelo Lomba que foi no ângulo buscar uma cabeçada de Nicolas.

Na sequência, Nico López recebeu dentro da grande área, fintou a marcação e chegou a driblar o goleiro Mota, que se recuperou e salvou a finalização do uruguaio, à queima-roupa. Mota voltou a brilhar quando Edenílson achou Guilherme Parede livre na área e o atacante tentou tocar por cima do goleiro, que saiu bem e evitou o gol colorado.

FICHA TÉCNICA:
PAYSANDU 0 X 1 INTERNACIONAL

Data e hora: 29/05/2019 (quarta-feira), às 19h15 (Brasília)
Local: Estádio Mangueirão, em Belém (PA)
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (PB)
Auxiliares: Anderson de Moraes Coelho e Daniel Paulo Ziolli (ambos de SP)
Cartões Amarelos: Nico López e Nonato (INT); Paulo Rangel, Caíque e Bruno Oliveira 2x (PAY)
Cartões Vermelhos: Bruno Oliveira (PAY)

PAYSANDU: Mota; Bruno Oliveira, Micael, Victor Oliveira e Bruno Collaço; Caíque, Thiago Primão (Leandro Lima) e Tiago Luis (Marcos Antônio); Vinicius Leite, Nicolas e Paulo Rangel (Pimentinha) Técnico: Leandro Niehues

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Zeca, Emerson Santos, Victor Cuesta e Uendel (Bruno); Rodrigo Lindoso, Edenílson e Nonato; Nico López (Sarrafiore), Guilherme Parede (D'Alessandro) e Paolo Guerrero. Técnico: Odair Hellmann