<
>

Chelsea vai para quase R$ 500 milhões em indenizações para técnicos demitidos com Abramovich

play
Sarri, sobre futuro no Chelsea: 'Dez meses de trabalho e tudo depende de 90 minutos, não é certo' (0:52)

Treinador analisou sua permanência e disse que conversará com clube depois da final (0:52)

Nesta semana, o Chelsea foi condenado a pagar uma indenização de 9 milhões de libras (R$ 46,1 milhões) ao técnico Antonio Conte, que foi demitido em julho do ano passado.

Com isso, a conta total que o dono do clube, Roman Abramovich, já teve que pagar em compensações aos treinadores que mandou embora chegou a 92,9 milhões de libras (R$ 475,87 milhões).

As indenizações datam desde 2004, quando o magnata russo ordenou a saída do italiano Carlo Ancelotti, que, segundo o diário Daily Mail, recebeu 6 milhões de libras (R$ 30,73 milhões) dos Blues.

O maior credor, porém, foi de longe o português José Mourinho.

O Special One teve duas dívidas quitadas: 23,1 milhões de libras (R$ 118,33 milhões) pela saída de 2007 e mais 8,3 milhões de libras (R$ 42,52 milhões) pela demissão de 2015.

Até mesmo o brasileiro Luiz Felipe Scolari, atualmente no comando do Palmeiras, entrou no "bolo", recebendo 12,6 milhões de libras (R$ 64,54 milhões), relativa à saída do Chelsea em 2009.

Confira quanto outros treinadores receberam:

Avram Grant: 5,2 milhões de libras (R$ 26,64 milhões)

Carlo Ancelotti: 6 milhões de libras (R$ 30,73 milhões)

André Villas-Bilas: 12 milhões de libras (R$ 61,47 milhões)

Roberto DiMatteo: 10,7 (R$ 54,81 milhões)