<
>

Palmeiras: Receitas e despesas caem 18% no primeiro trimestre de 2019

play
Valores, multa e tamanho do contrato; Nicola explica o iminente acordo entre Palmeiras e Globo (4:11)

Com cifras apenas menores do que Flamengo e Corinthians, clube e emissora devem acertar tudo em pouco tempo (4:11)

Os números financeiros do 1º trimestre de 2019 do Palmeiras foram muito diferentes do mesmo período no ano passado, principalmente por conta do mercado da bola.

De acordo com balancete publicado pela equipe alviverde, a receita total do departamento de futebol profissional entre janeiro e março deste ano foi de R$ 118.039.991,61, 18% menor do que no 1º trimestre de 2018, quando o Verdão faturou R$ 144.246.051,67.

Isso se deve principalmente às vendas feitas pelos palestrinos.

Em 2018, por exemplo, foi feita a venda do zagueiro Yerry Mina para o Barcelona por 12,39 milhões de euros (R$ 55,86 milhões, na conversão atual), dos quais 10 milhões de euros (R$ 45,09 milhões) ficaram nos cofres brasileiros.

Foi a 2ª maior negociação da história alviverde, atrás apenas de Gabriel Jesus para o Manchester City.

Já em 2019, a maior negociação foi a de Luan Cândido, que rendeu 8 milhões de euros (R$ 36,07, na conversão atual) à vista, sendo que os paulistas ficaram com 70% disso.

Ainda restam 2 milhões de euros (R$ 9,02 milhões) a receber quando o atleta fizer 5 jogos pelo RB Leipzig - e que, portanto, ainda não estão na contabilidade palmeirense.

Por outro lado, as despesas caíram na mesma proporção, devido a ajustes financeiros feitos pelo time.

No 1º trimestre de 2019, o total foi de R$ 128.775.690,11, enquanto no mesmo período da temporada anterior o número foi de R$ 157.056.516,42 - ou seja, 18,5% a menos.

E, assim como no 1º trimestre de 2018, o Palmeiras fechou esta parte da temporada com déficit em 2019: R$ 10.735.698,50.

No ano passado, o déficit foi de R$ 12.810.464,75 entre janeiro e março. Ou seja: o déficit de 2019 foi menor que o de 2018.

Vale lembrar, porém, que o clube do Palestra Itália está próximo a alcançar um acordo com a Globo, o que irá engordar as finanças neste ano. Sem o dinheiro da TV, a estimativa era de faturamento de R$ 561 milhões na temporada.

No ano passado, o clube paulista teve receita total de R$ 688,572 milhões, simplesmente a maior de sua história e também a número 1 em todo o Brasil, à frente inclusive do Flamengo.

A equipe alviverde ainda fechou o ano no azul: além de ter conquistado o Campeonato Brasileiro, encerrou 2018 com lucro de R$ 30,7 milhões.

Ademais, o patrimônio líquido acumulado foi de R$ 59,6 milhões.