<
>

Palmeiras e mais cinco: veja clubes que disputaram e não jogariam Libertadores com nova regra

play
Mudanças na Copa Libertadores têm relação com o futebol argentino; Bertozzi explica (2:46)

Chance do River Plate ter que disputar fase preliminar pode ter provocado alteração no regulamento (2:46)

Apenas seis clubes já disputaram a Copa Libertadores sem estarem na primeira divisão de seu respectivo campeonato nacional. A partir de 2020, segundo anunciou a Conmebol na terça-feira, isso não será mais possível.

As novas regras divulgadas pela entidade máxima do futebol sul-americano obrigam as equipes da Libertadores e Sul-Americana, a partir de 2020, a “estar disputando o torneio nacional de sua associação membro na divisão principal”.

A decisão impactaria as seguintes equipes na história da Libertadores: o Criciúma de 1992, o Santo André em 2005, o Paulista em 2006, o Jorge Wilstermann-BOL em 2011, o Palmeiras em 2013 e o Santiago Wanderers-CHI em 2018.

Em relação aos casos brasileiros, todos os clubes de divisões inferiores se classificaram ao torneio continental via Copa do Brasil. O caso mais famoso é o do Palmeiras, campeão em 2012 e rebaixado no Brasileiro no mesmo ano.

Na Libertadores de 2013, o time se classificou na primeira colocação de seu grupo e acabou eliminado nas oitavas de final.

Em 1992, o Criciúma chegou ainda mais longe, às quartas de final – no Brasileiro, na ocasião, estava na segunda divisão. Já Santo André e Paulista, por sua vez, não foram além da primeira fase em 2005 e 2006, respectivamente.

Nos dois exemplos internacionais, o Jorge Wilstermann se classificou para a Libertadores de 2011 como campeão do Apertura de 2010, mas caiu no Clausura do mesmo ano; e o Santiago Wanderers venceu a Copa Chile 2017 e depois foi rebaixado no Chileno.