<
>

Jornal diz que cartolas do PSG são omissos, aponta 'república de jogadores' com Neymar, Daniel Alves e Mbappé

O “interpretativo” discurso de Mbappé no final de semana, após ser eleito o melhor jogador do Campeonato Francês, além dos problemas envolvendo Neymar, fez com que o jornal Le Parisien criticasse duramente uma suposta omissão do Paris Saint-Germain.

O periódico francês apontou que os atletas da equipe mandam mais do que a diretoria do time francês: "PSG: Mbappé, Neymar, Alves… a república dos jogadores"

"Desde a partida de Leonardo, a autoridade do clube é apenas incorporada por Nasser Al-Khelaïfi. O presidente é também quem toma a decisão final em muitos casos, particularmente no caso de Kylian Mbappé. Ele é até mesmo o único interlocutor com a família do número 7 que, como a maioria dos jogadores, prefere falar diretamente com o chefe e não com seu diretor de esportes", diz o artigo, que critica diretamente o diretor de esportes, Antero Neto.

"Depois de Daniel Alves, alegando em entrevista ao RMC ser "mais ouvido" e Neymar dizendo jovens que deveriam "ouvir mais do que falar", a declaração Kylian Mbappé dá um pouco mais a impressão de que o vestiário tem cada vez mais poder. Até quando?", questionou.

No domingo, Mbappé, que marcou 32 gols em 28 jogos na Ligue 1, havia deixado em aberto seu futuro.

“Talvez esse seja o momento de ter mais responsabilidades. Talvez seja no PSG, com muito prazer, ou talvez em outro lugar, com um novo projeto”, disse o jogador sem explicar qual o significado da mensagem. No dia seguinte, o time francês tratou de encerrar as especulação da saída de seu astro.