<
>

São Paulo empata com o Bahia em jogo 'acidentado', com lesão e expulsão via VAR, no Morumbi

Se o objetivo fosse descrever o jogo com uma palavra, nenhuma faria o serviço melhor do que "acidentado".

Em jogo duro, debaixo de sol no Morumbi, São Paulo e Bahia empataram por 0 a 0 neste domingo (19) com lesões, expulsão por conta do VAR e falhas dos sistema defensivo são-paulino.

Com o resultado, o São Paulo fica em terceiro, com 11 pontos. Já o Bahia, com 7, é o oitavo. Na quarta-feira, o São Paulo enfrenta justamente o Bahia, novamente, no Morumbi, pela Copa do Brasil - oitavas de final.

Mais de 44 mil pessoas estiveram no estádio para ver dois times corajosos, mas que não conseguiram mudar o placar no Campeonato Brasileiro. Que vaiaram o time ao término do jogo.

Marcado pela contusão de Liziero ainda no primeiro tempo, pela expulsão de Toró, no segundo e por muita disputa em jogo aberto, o resultado, diante das circunstâncias, acabou parecendo razoável.

A verdade, porém, é que um empate em casa com um clube do pelotão intermediário em casa, não pode ser considerado bom para as pretensões do clube Morumbi.

O primeiro tempo foi de movimentação. Com Pato sem condições de jogar a partida inteira, o São Paulo procurou fazer da primeira etapa uma blitz perene.

A primeira chegada foi do Bahia, aos 9, com Gilberto. Mas depois, em especial com Toró, que fazia boa partida, o São Paulo chegava mais.

Como aos 8, quando Toró exigiu boa defesa de Douglas. E aos 20, com bola na trave de Douglas, após chute de Antony e desvio na zaga.

Aos 12, porém, começaram os problemas. Liziero torceu o tornozelo direito - o mesmo que machucara em janeiro, e deixou o campo.

Aos 47, foi a vez de Hernanes ter uma lesão na mão direita. Seu dedo anular teve a última falange deslocada, e teve que ser "recolocado no lugar" na beira do gramado.

Na etapa complementar, o São Paulo pareceu sentir o desgaste físico e o Bahia equilibrou bem o jogo.

Toró, que fazia boa partida, deixou o São Paulo na mão aos 26. Ao disputar jogada com o goleiro Douglas, pisou no adversário e, inicialmente, sairia com um amarelo.

Mas o VAR entrou em ação e reviu o lance. Toró foi expulso. E o Bahia cresceu ainda mais.

Nos últimos 15 minutos, o Bahia foi muito mais forte na pressão. O centroavante Fernandão teve pelos menos três chances em que poderia ter dominado bolas, em vez de bater direto ao gol, que poderiam ter dado melhor sorte aos comandados de Roger Machado.

Mas, para sorte de Volpi e do Tricolor Paulista, o 0 a 0 era fato consumado.

FICHA TÉCNICA SÃO PAULO 0 X 0 BAHIA

Local: Estádio do Morumbi, São Paulo (SP)

Data: 19 de maio de 2019, domingo

Horário: 11h (de Brasília)

Árbitro: Daniel Nobre Bins (RS)

Assistentes: Elio Nepomuceno de Andrade Júnior e Maurício Coelho Silva Penna (RS)

VAR: Rodrigo Nunes de Sá

Público: 44.640 torcedores

Renda: R$ 2.196.501,00

Cartões amarelos: Luan (São Paulo); Gregore, Douglas Augusto e Moisés (Bahia) Cartão vermelho: Toró (São Paulo)