<
>

Colunista inglês diz que torcedores do Leeds têm algo para se orgulhar de novo por permitir gol de rival; veja seus motivos

O Leeds ainda luta para conseguir voltar à Premier League e o 1 a 1 contra o Aston Villa, no último domingo, não colaborou muito com este objetivo. Porém, ao menos para Jonathan Wilson, colunista do The Guardian, seu torcedor já tem um motivo para se sentir orgulhoso.

A atitude de Bielsa ao mandar o time ficar parado para “devolver” o gol que Mateusz Klich havia marcado enquanto todos do Aston Villa pediam uma atitude de Fair Play, foi extremamente elogiada pelo jornalista do mais importante veículo impresso da Inglaterra.

“Bielsa talvez não vença com tanta frequência quanto devia, mas então o que seria vencer ser for sem nobreza?”, questiona Wilson.

O colunista relembra o gesto de Stan Cullis que, em seu último jogo com a camisa do Wolverhampton, se negou a fazer uma falta em Albert Stubbins quando ele tinha totais condições de marcar o gol no último jogo da temporada 1946-47. Com o gol marcado, o Liverpool de Stubbins foi campeão, e não os Wolves de Cullis.

“Talvez não seja um ato, para usar este tempo, de tanta nobreza”, escreveu. “Mas nasceu semelhante na crença de que vencer não deve ser a qualquer custo”, completou.

Wilson ainda destaca que o Leeds viu cair quase que pela metade o público do começo dos anos 2000, quando chegou à semifinal da Champions League, mas Marcelo Bielsa “deu algo para o Leeds acreditar novamente”. Isso em uma era em que, como ele mesmo destaque, ouve-se muito mais vaias do que se ouvia antigamente nas arquibancadas.

O empate tirou a chance do Leeds conquistar o acesso de forma direta, tendo que buscar isso agora pelos play-offs. Mas Wilson acha que a história realmente já foi feita.

“Não importa o que aconteça nos play-offs, os torcedores do Leeds nunca vão se esquecer desta temporada. Eles sempre vão ter a lembrança de quando o amor voltou”, escreveu.