<
>

Centroavante, ponta-esquerda e dupla com Pablo: como Pato pode jogar

O São Paulo poderá contar com o atacante Alexandre Pato pela primeira vez em 2019 neste sábado. O jogador será titular contra o Botafogo, no Morumbi, às 16h, na partida que marca a estreia do tricolor no Campeonato Brasileiro deste ano. O técnico Cuca não fez questão de esconder sua estratégia e confirmou que Pato começará atuando como centroavante.

“Ele está treinando de centroavante, ele vai ser o nosso 9. Ele está trabalhando bem, treinando bem. Os lados do campo a gente tem, falta esse jogador, e ele vai ser esse jogador para nós”, afirmou Cuca.

Dessa forma, Pato atuará centralizado, função já exercida pelo jogador em sua carreira. A tendência é que o atacante tenha a companhia de Everton, pela esquerda, Igor Gomes, por dentro, e Antony, pela direita. Sob o comando de Cuca, Gabigol já atuou como camisa 9 no Santos e tinha muita liberdade para se movimentar por todos os setores do ataque. Com características semelhantes ao ex-santista, Pato deve jogar centralizado, porém com movimentação e trocas de posição com os companheiros.

Pato pela esquerda

Em 2015, sob o comando de Juan Carlos Osório, Pato atuou como ponta-esquerda, sendo importante nas finalizações quando cortava para dentro ou quando fazia infiltrações nas costas da defesa. O treinador colombiano, naquela ocasião, chegou a comparar o atacante com importantes nomes do futebol mundial.

“Pessoalmente, creio que é nessa posição de extremo (ponta), jogando mudando de lado, é um dos melhores do país. Ou talvez o melhor. O compararia com Robben, ou Ribery, ou Di Maria… Estamos com um potencial desses em nosso time”, analisou o treinador.

Quando Pablo estiver à disposição novamente, Cuca pode optar pela utilização do camisa 9 como centroavante, deslocando Pato para a ponta-esquerda. Nessa formação, Pato teria um compromisso de recompor pelo lado do campo no momento que o time defende, porém não teria que receber a bola de costas, entre os zagueiros adversários. Hernanes seria o armador das jogadas ofensivas e Antony traria velocidade pelo lado direito do ataque.

Uma alternativa mais ofensiva

Quando foi campeão pelo Palmeiras do Campeonato Brasileiro de 2016, Cuca buscava alterar a formação de meio de campo da equipe de acordo com o nível de dificuldade da partida e com as características do adversário. No São Paulo, o treinador pode optar por uma formação mais ofensiva, recuando Hernanes para a posição de segundo volante.

Assim, o time não teria um meia armador, deslocando Pato para o centro. O atacante faria uma dupla de ataque com o centroavante Pablo, da mesma maneira que formou parceria com Alan Kardec, em 2014. Os dois jogadores do atual elenco têm como característica a mobilidade, possibilitando tabelas e maior presença de área.

Com este esquema, Pato não teria que voltar para marcar pelas laterais, já que Everton e Antony fariam a recomposição pelos lados, formando uma linha de quatro com os dois volantes na fase defensiva.