<
>

Cruzeiro: presidente revela salário de vice de futebol para tentar acalmar polêmica

play
Itair Machado coloca Thiago Neves como maior jogador que viu atuar no Cruzeiro (1:27)

Vice de futebol do clube celeste é o Bola da Vez desta semana (1:27)

O Cruzeiro emitiu, na quinta-feira, uma nota oficial para tratar de diversos temas dos bastidores do clube. O texto, com aspas do presidente Wagner Pires de Sá, fala em “incômodo” com membros da oposição e trata de um tema que causou polêmica entre os conselheiros: o salário de Itair Machado.

Na última semana, Jorge Nicola, comentarista dos canais ESPN, revelou em seu blog que o vice de futebol teve direito a R$ 4,24 milhões em 2018, ano em que o Cruzeiro foi campeão da Copa do Brasil, mas amargou déficit de R$ 27,2 milhões – contando a venda de Arrascaeta ao Flamengo.

O valor divulgado por Nicola equivale, em 12 meses, a R$ 354 mil mensais. A diretoria do Cruzeiro, contudo, afirma que o executivo recebe menos, em remuneração “compatível com o cargo”.

“No ano passado, um grande clube do futebol brasileiro fez contato comigo solicitando a liberação do Itair e, neste ano, outro grande clube também veio atrás dele. Ele hoje está entre os principais gestores do futebol nacional e a remuneração dele é de R$ 180 mil, compatível com o cargo.”

“No ano passado, ele teve um acréscimo considerável, pois o Cruzeiro venceu a Copa do Brasil e o Campeonato Mineiro, o que rendeu a ele participação na premiação, algo absolutamente normal. Até agora, disputamos cinco competições e vencemos três. Isso é prova da competência dele à frente do futebol”, disse o presidente cruzeirense na nota publicada no site oficial celeste.

O texto ainda ataca membros do Conselho Deliberativo que, nas palavras da atual direção, “insistem em espalhar boatos, criar factoides e levar para a imprensa o debate sobre assuntos internos”.

“Realmente essas coisas nos chateiam bastante. A chapa derrotada na última eleição pensa que a eleição ainda não acabou. Eu, pessoalmente, vou trabalhar para colher assinaturas pedindo a exclusão de conselheiros por conduta inadequada a um conselheiro do Cruzeiro”, completou Pires de Sá.