<
>

De empregos a turismo, saiba como Leipzig se beneficiou com a Red Bull: 'Uma empresa industrial de médio porte'

Na última terça-feira, Red Bull Brasil e Bragantino selaram um acordo que possibilitará a empresa austríaca jogar a segunda divisão do Campeonato Brasileiro nesta temporada.

O acordo significou um novo marco na história do futebol brasileiro. Além disso, mostrou a força que as multinacionais podem excercer sobre o esporte mais popular do país.

Em 2019, Bragança Paulista deverá ter o seu tradicional time pela última vez. Na temporada que vem, o clube - campeão paulista de 1990 e vice brasileiro de 91 - deixará de existir para se tornar o RB Bragantino.

Porém, em troca, a empresa pode trazer a cidade do interior paulista mais crescimento e desenvolvimento.

Do mesmo jeito que aconteceu com Leipzig, localizada no nordeste da Alemanha e que é a casa do RasenBallsport (no país, uma empresa não pode comprar e ser “dona” de um clube).

“A cidade ganhou muito com o tremendo investimento trazido pela Red Bull. Uma equipe da primeira divisão do Campeonato Alemão é comparável a uma empresa industrial de médio porte”, afirma Matthias Hasberg, porta-voz da cidade de Leipzig, em entrevista exclusiva ao ESPN.com.br.

O investimento que será injetado no Bragantino pode chegar a R$ 45 milhões. Este valor será disparadamente o maior dentre todos os clubes da Série B do Campeonato Brasileiro.

“O investimento deve trazer centenas de empregos para a cidade”, diz o Hasberg. “Começando pelas vagas que serão criadas no próprio time, passando por setores como gastronomia, hotelaria e bancos”, completa o porta-voz.

Além da alta injeção de dinheiro, que ajudará no desenvolvimento no clube, novas infraestruturas também devem ser construídas na cidade de Bragança Paulista.

Uma arena e também um novo Centro de Treinamento – que atualmente fica localizado em Jarinú, interior de São Paulo, devem ser contruídos na cidade.

Outro objetivo da Red Bull é levar o clube à elite do Campeonato Brasileiro e à Copa Libertadores da América, o que pode beneficiar também o turismo da cidade do interior paulista, como ocorreu em Leipzig.

“Sobre o turismo, os efeitos são um pouco menores, mas crescem quando o time joga competições internacionais, como a Europa League ou a Champions League, o que parece ser muito provável para a próxima temporada”, informa Hesberg.

“Uma das coisas mais importentes que aconteceram com a Red Bull por aqui, é que a cidade começou a ser mencionada em todos os finais de semana em rede nacional na televisão. Isso, geralmente vale a pena. Se você quer atingir este público comprando propaganda comercial, o custo são de milhares de euros. Porém, eles fizeram com que isso se tornasse gratuito”, completa o porta-voz.

A primeira aparição do Red Bull Bragantino, após a conclusão do acordo, será no Campeonato Brasileiro da Série B, contra o Brasil, em Pelotas, no dia 27 de maio.

O escudo não vai ser alterado, nem o uniforme principal de jogo, em 2019. A ideia é que haja também um uniforme na cor vermelha, que é a cor principal da empresa austríaca. Mas não se sabe ainda se este será o segundo ou o terceiro uniforme.

Ainda não está claro o que acontecerá com os jogadores do atual Bragantino, já que os atletas da Red Bull é que serão inscritos na competição nacional.

Na próxima segunda-feira, a comissão técnica da equipe de Bragança será dissolvida, segundo informações do próprio técnico do clube, Marcelo Veiga. Porém, ainda não está certo se Antônio Carlos Zago assumirá a função.