<
>

Palmeiras x Melgar: Na Libertadores, times de Felipão fazem muitos gols, mas também sofrem vários

Nesta terça-feira, o Palmeiras recebe o Melgar, do Peru, às 19h15 (de Brasília), no Allianz Parque, pela 2ª rodada da fase de grupos da Libertadores, para tentar manter o 100% na competição, após começar com vitória por 2 a 0 sobre o Junior Barranquilla, da Colômbia.

Até o momentos, os números ofensivos do Verdão na temporada não empolgam (13 gols em 11 jogos, média de 1,18 por jogo).

Os defensivos, porém, deixam os fãs satisfeitos: só 5 tentos sofridos nos 11 jogos, média de 0,45 por jogo.

No total, os jogos envolvendo o time do Palestra Itália em 2019 geraram uma média de 1,63 gol/jogo (somando os gols pró e contra), dando certa razão aos que classificam o estilo do técnico Luiz Felipe Scolari como "retranqueiro".

A história mostra, porém, que as coisas sempre mudam de figura quando Felipão entra em ação no torneio da Conmebol.

Até hoje, o comandante já fez 65 jogos na Libertadores (somando Grêmio e Palmeiras), com 36 vitórias, 14 empates e 15 derrotas.

Nestas mais de seis dezenas de duelos, seus times em nada lembraram equipes "retranqueiras".

Afinal, geraram um total de 205 gols, sendo 129 a favor e 76 contra. Isso dá uma média de 3,15 gol/jogo (somando gols pró e contra) quando um time de Scolari disputa a competição sul-americana.

Em resumo: marca muitos gols, mas também sofre vários.

Para se ter noção da diferença, os jogos do Verdão no Campeonato Paulista deste ano geram apenas 1,6 gol/jogo, já que a equipe alviverde marcou 11 e sofreu 5 nas 10 rodadas do Estadual até o momento.

O número de Felipão na Libertadores também é muito maior que a média geral de gols do Paulistão-2019, que é de 2,15 gol/jogo.

As estatísticas mostram mesmo que Scolari arrisca mais realmente em torneios internacionais.

Na extinta Copa Mercosul, por exemplo, o técnico fez 25 jogos, que geraram 94 gols (somando pró e contra), uma média de 3,76 gol/jogo, superior até mesmo à da Libertadores.

Seus números na Liga dos Campeões da Ásia também foram altos. Na competição continental, foram 102 gols gerados (somando pró e contra) em 38 partidas, o que dá média de 2,68 gol/jogo.

Para o duelo contra o Melgar, nesta terça, o comandante deve repetir o time que venceu o Junior na primeira rodada, escalando Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Antônio Carlos e Victor Luís; Felipe Melo, Bruno Henrique e Ricardo Goulart; Dudu, Scarpa e Borja.

Deyverson, porém, tem chance de jogar no lugar de Borja, que vem disputando "maratona" no Paulista e na Libertadores, já que o camisa 16 está suspenso no Estadual devido à cusparada que deu no volante Richard, do Corinthians.