<
>

Ex-funcionário do presidente do Olympique revela: 'Comprei árbitro e drogamos os jogadores do PSG'

play
Preparador físico diz que seleção espera Neymar 'em melhores condições' na Copa América do que no Mundial da Rússia (1:05)

Fábio Mahseredjian atualizou situação do atacante do PSG, que se recupera de fratura no pé direito (1:05)

Marc Fratani trabalhou com Bernard Tapie, ex-presidente Olympique de Marselha entre 1986 e 1994. Ele concedeu uma entrevista ao jornal francês Le Monde na qual confirmou as práticas de corrupção e doping contra jogadores adversários.

“Tapie é uma pessoa que não estabelece limites. Para chegar onde queria, ele era capaz de qualquer coisa. Uma vez, participei da compra de um árbitro. Foi uma partida contra o PSG, em Paris. No dia seguinte ao encontro fui ao local que tínhamos combinado. Naquela partida, o rival também foi desestabilizado com o uso de uma droga psicotrópica: haldol. Usando seringas de agulhas ultrafinas, o produto se injetou em garrafas de plástico. Todo o conteúdo consumido pelo rival foi manipulado", disse.

Fratini também confirmou os rumores de que teria drogado atletas do Rennes com suco de laranja “batizado” no hotel antes de uma derrota por 5 a 1 para o Olympique. Uma das vítimas teria sido o atacante brasileiro Baltazar, ex-Grêmio e Palmeiras.

Ao jornal "Le Parisien", o ex-presidente Bernard Tapie se mostrou bastante revoltado com o ex-funcionário e negou todas as acusações.

“Têm idiotas que querem acreditar em tudo isso porque será reconfortante e outras que sim, essas terão consciência. Aqueles se darão conta de que isso é um absurdo. Então, se Fratani comprou um árbitro algum dia, deve dar o nome, local e quando isso aconteceu. Não tenho mais comentários para fazer”.