<
>

Corinthians queria pagar Arana em 4 prestações, e a primeira só em 2020, diz jornal

play
Diretor de futebol do Corinthians, sobre Arana: 'Negociação só vai existir, se o Sevilla voltar atrás' (2:11)

Duílio Monteiro Alves falou sobre a tentativa de contratação do lateral esquerdo (2:11)

Segundo o jornal Estadio Deportivo, de Sevilha, o Sevilla recusou a proposta do Corinthians pelo lateral esquerdo Guilherme Arana por não gostar da opção de parcelamento requisitada pela equipe brasileira.

De acordo com o veículo, o Timão propôs pagar 8 milhões de euros (R$ 33,5 milhões) pelo ala.

Inicialmente, a negociação parecia caminhar bem, já que o Sevilla gostou do valor proposto pelo Timão.

Contudo, o clube dirigido por Andrés Sánchez pediu que a compra fosse feita em quatro prestações de 2 milhões de euros (R$ 8,4 milhões), com a primeira parcela sendo depositada apenas em 2020.

Segundo o diário, isso desagradou a diretoria do time andaluz, que recuou na negociação.

"A forma de pagamento da operação foi o que travou a operação. O Sevilla solicita o pagamento à vista, algo que o clube sul-americano considera impossível no momento", diz o jornal.

Com isso, Arana deve mesmo permanecer na Espanha e não deve mais retornar ao Corinthians. O próprio diretor de futebol alvinegro, Duílio Monteiro Alves, admite que a operação agora é muito difícil de se concretizar.

"Nós só teremos um negócio hoje se o Sevilla voltar atrás e considerar a proposta que foi feita. Diferentemente do que o Corinthians já propôs, não dá para ser feito. A gente permanece no aguardo, mas a possibilidade só vai existir se o Sevilla voltar atrás”, afirmou, na última quarta, após a derrota por 2 a 0 para o Red Bull Brasil, pelo Campeonato Paulista.

Na última quarta-feira, aliás, Arana foi até titular e fez um gol contra o Barcelona, pela Copa do Rei.

No entanto, os alvirrubros acabaram levando uma goleada por 6 a 1 e foram eliminados da competição.