<
>

Flu bate Nacional no Uruguai, avança à semi e garante um brasileiro na final da Sul-Americana

Jogadores do Fluminense comemoram durante vitória sobre o Nacional-URU em Montevidéu EFE

O Fluminense visitou o Nacional-URU no Estádio Gran Parque Central, em Montevidéu, e buscou a classificação à semifinal da Copa Sul-Americana, ao triunfar por 1 a 0, nesta quarta-feira. O duelo de ida pelas quartas havia acabado em 1 a 1, graças a um gol dos uruguaios nos minutos finais no Maracanã.

A classificação do Flu foi alcançada graças a Luciano, após um enorme vacilo do goleiro e capitão do time adversário. Conde saiu jogando errado com os pés e mandou a bola de graça para Sornoza. Na sequência, o atacante foi acionado, driblou o arqueiro e estufou a rede.

Agora, o time carioca irá enfrentar o vencedor de Atlético-PR e Bahia na próxima fase. No confronto de ida, em Salvador, os rubro-negros venceram por 1 a 0. Dessa forma, o Brasil tem um representante assegurado na final do torneio continental.

Agora, o Fluminense voltará a campo no sábado, quando receberá o Vasco no Maracanã, às 17h (de Brasília), pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O jogo – O time visitante não ficou recuado nos primeiros minutos e buscou o ataque no início da partida. Os tricolores chegaram a assustar em bolas levantadas na área, mas nenhuma finalização foi em direção ao gol. O Nacional também não ficou atrás pela vantagem, só que parava na defesa brasileira.

Os cariocas eram melhores em campo e chegaram a balançar a rede aos 15 minutos, com Digão. No entanto, o gol foi anulado pela arbitragem, que marcou falta de Gum no lance. O susto foi sentido pelos uruguaios, que só avançavam com segurança.

O Nacional só voltou a levar perigo aos 33 minutos, quando Fucile cruzou, mas Gum se antecipou aos atacantes para impedir a abertura do placar. O Fluminense respondeu em dois lances. Primeiro, Everaldo cruzou rasteiro, mas Luciano escorregou e permitiu a recuperação da zaga. Depois, Ayrton Lucas foi lançado na área, chutou cruzado e viu a zaga salvar os donos da casa.

Nos minutos finais, o Fluminense esboçou uma pressão e quase marcou aos 46 minutos. Luciano aproveitou cruzamento pela direita e cabeceou no meio do gol. Conde estava atento para fazer a defesa e deixar o placar em branco no intervalo.

No segundo tempo, os cariocas voltaram com mais vontade e abriram o placar aos três minutos. O goleiro Conde saiu mal a bola e deu nos pés de Sornoza. O meia tocou para Luciano na área, que tirou do marcador e do goleiro e chutou para a rede.

O revés foi sentido pelo Nacional, que viu o Fluminense crescer na partida. Tanto que, aos oito minutos, os tricolores quase chegaram ao segundo. Ibañez aproveitou escanteio, mas cabeceou pela linha de fundo.

Aos poucos, os uruguaios conseguiram equilibrar o confronto, mas pouco incomodavam o goleiro Júlio César. O Fluminense avançava com qualidade, mas a zaga adversária parava as jogadas com falta.

Nos minutos finais, os donos da casa tentaram impor uma pressão, só que pararam na boa atuação da zaga tricolor. O Fluminense soube administrar e ainda desperdiçou chance cara a cara com Matheus Alessandro já nos acréscimos. Para melhorar a situação dos visitantes, Espino ainda seria expulso após fazer falta violenta em Sornoza.

FICHA TÉCNICA
NACIONAL-URU 0 x 1 FLUMINENSE

Local: Estádio Parque Central, em Montevidéu (Uruguai)
Data: 31 de outubro de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann (Chile) e Claudio Rios (Chile)
Cartões amarelos: De Pena, Fernández, Castro e Rolín (Nacional); Digão e Gum (Fluminense)
Cartões vermelhos: Espino (Nacional)
Gol: Luciano (Fluminense), aos 3min do segundo tempo

NACIONAL: Esteban Conde, Jorge Fucile (Tabaré Viudes), Rafael García, Alexis Rolín e Luis Espiño; Matías Zunino, Santiago Romero, Christian Oliva (Luis Aguiar) e Carlos De Peña (Sebastián Fernández); Gonzalo Castro e Gonzalo Bergessio. Técnico: Alexander Medina

FLUMINENSE: Júlio César, Gum, Digão e Ibañez; Jadson, Airton (Paulo Ricardo), Richard, Júnior Sornoza e Ayrton Lucas; Everaldo (Junior Dutra) e Luciano (Matheus Alessandro). Técnico: Marcelo Oliveira