<
>

Estádio do Tottenham, que custou quase R$ 5 bilhões, não pode ser inaugurado por falta de segurança

O Tottenham terá de retornar ao Wembley, ao menos neste início da Premier League. O motivo é que problemas de segurança no novo estádio do clube londrino adiaram a abertura dele, prevista para 15 de setembro.

O prejuízo foi considerável. Além do jogo contra o Liverpool, a partida contra o Cardiff e uma partida da NFL, parceria do clube e com acordo para 14 de outubro, foram remarcadas para Wembley.

De acordo com reportagem do "The Guardian", o novo White Hart Lane, que custou 850 milhões de libras esterlinas (quase R$ 5 bilhões), apresentou "problemas críticos" no sistema de segurança durante os testes, o que fez o Tottenham agendar reuniões urgentes com os responsáveis pelo projeto. O adiamento dos jogos tornou-se inevitável.

“Após a divulgação do calendário de jogos da Premier League 2018/19, anunciamos que, salvo qualquer problema significativo nos estágios finais da finalização do estádio, nosso jogo contra o Liverpool em 15 de setembro seria o primeiro em casa. Testes e comissionamentos recentes mostraram problemas críticos com os sistemas de segurança. Reuniões urgentes de acompanhamento com [a construtora] Mace e os contratantes comerciais estão ocorrendo", informou o clube por meio de uma nota oficial, justificando o adiamento.

“Os atrasos criados por essas dificuldades significam que os eventos de teste precisam ser reagendados antes da primeira partida oficial no novo estádio para obtermos a licença de segurança. Assim, nossos próximos jogos da Premier League contra o Liverpool e o Cardiff City, este em 6 de outubro, serão transferidos para Wembley, assim como a partida da NFL", encerrou sobre o assunto em seu informativo.

A mudança repentina de cronograma é algo que deixou a direção do Tottenham constrangida diante da opinião pública. Isto porque o clube iniciou a Premier League sem ter feito nenhuma contratação, o que não ocorria com um participante do torneio desde a temporada 2003/04. A ausência de reforços já gerou protestos da torcida.

NFL diz compreender problemas

O vice-presidente executivo da NFL, Mark Walter, disse que "compreendeu totalmente as questões" e que continua "muito entusiasmado com a parceria de longo prazo com o Tottenham".

"Sabemos que isso será decepcionante para todos os nossos fãs em todo o mundo", disse o presidente do Tottenham, Daniel Levy. “Agradecemos o apoio que nosso parceiro a NFL mostrou. No início do projeto, pedimos o seu apoio durante o que sabíamos que seria uma construção complexa e desafiadora e agora pedimos a sua paciência”.

Os Spurs têm perseguido uma agenda ambiciosa para o seu novo terreno, que está sendo construído no mesmo local onde ficava o antigo White Hart Lane. Em junho, os diretores do clube londrino avisaram que tinham concordado em adiar o jogo de abertura da temporada, a fim de permitir a conclusão do projeto. Posteriormente, anunciaram que jogariam em Wembley contra o Fulham pela segunda rodada da Premier League, a primeira do time em casa.

Esta semana, o clube teria ativado uma cláusula em seu acordo com Wembley, onde jogou seus jogos na última temporada e que lhes permite marcar mais partidas até o final de 2018. Os valores são mantidos em sigilo.