<
>

Ex-São Paulo, Grêmio e Vasco já foi tietado por Pogba no meio de jogo: 'É brasileiro? Muita qualidade!'

O elenco do Fenerbahce, da Turquia, conta no elenco com o volante Souza, de 29 anos, revelado pelo Vasco e com boas passagens por Grêmio e São Paulo no Brasil, além do Porto, de Portugal, na Europa.

Contratado pelo time de Istambul em julho de 2015 por 8 milhões de euros, o meio-campista é um dos pilares do time aurinegro.

O atleta vem jogando tão bem que foi até elogiado em pleno campo de jogo por ninguém menos que Paul Pogba, craque do Manchester United.

Isso aconteceu durante a partida entre os "Diabos Vermelhos" e o Fener, em 20 de outubro de 2016, pela Liga Europa, em Old Trafford. Mesmo goleando a equipe turca por 4 a 1, o astro francês viu muita qualidade no futebol de Souza, e fez questão de dizer isso a ele.

"Nessa hora o jogo ainda estava 1 a 0 para eles, e eu estava marcando o Pogba no escanteio. Enquanto eles preparavam a cobrança, perguntei pra ele se queria trocar camisa no intervalo, e ele respondeu: 'Com certeza'. Aí me olhou de novo e perguntou: 'Você é brasileiro?'. Eu respondi que sim, ele deu um sorriso e falou, arranhando um português: 'Dá pra ver! Tem muita qualidade, muita qualidade! (risos)'", contou o volante em entrevista concedida em 2017, ao ESPN.com.br.

O ex-são-paulino diz ter ficado extremamente feliz com o reconhecimento.

"Depois trocamos camisa, ele me desejou boa sorte e deu os parabéns pela partida. O Pogba é um cara que, apesar de ser um talento mundial, é muito humilde. Tenho o futebol dele como referência e sempre o assisti, mesmo ele sendo mais jovem que eu. O fato dele me elogiar e gostar do meu trabalho me deixou feliz demais. E ele entende muito o português, porque tem vários amigos brasileiros e adora nosso país", relata o atleta.

Souza, aliás, tem uma explicação para o passeio que o Fenerbahce levou em Old Trafford. Ele revelou que seu time teve um grave problema com o voo antes da partida.

"Rapaz, você acredita que um pássaro se chocou contra nosso avião, a janela trincou a a gente teve que fazer um pouso de emergência. Ficamos parados umas quatro horas em Budespeste. Com isso, complicou toda nossa programação. Quando chegamos em Manchester, nem conseguimos treinar, só pisamos no gramados e fomos embora", lembra.

Apesar disso, ele assegura ter ficado satisfeito com sua atuação contra o United.

"Para mim, foi um sonho jogar em Manchester, num estádio em que tantos craques já brilharam. Foi muito emocionante. Perdemos por 4 a 1, foi complicado, mas achei que fui bem individualmente. Recebi muitos elogios não só no Brasil, mas na Turquia também. Saí de campo com a sensação que dei minha vida e honrei a camisa do Fener", brada.

A vingança em cima do time de José Mourinho viria alguns dias depois, quando o Fenerbahce recebeu os Red Devils em Istambul precisando vencer de qualquer forma para avançar para a próxima fase. Com uma boa atuação de Souza, que foi titular, e também dos atacantes Sow e Lens, os aurinegros ganharam por 2 a 1 e seguiram em frente.

"A gente precisava vencer de qualquer jeito, não podíamos nem pensar em empatar. Estávamos com o orgulho ferido pela goleada na primeira partida e entramos voando em campo. Com um minuto, o Sow já meteu um golaço de bicicleta, que nos deu ainda mais ânimo e um gás muito grande para vencer. Controlamos a partida e corremos poucos riscos. Foram dois grandes jogos, que irão ficar guardados na minha memória", afirmou.

'O mais importante é sair suado de campo'

Souza diz que fica impressionado a cada contato que tem com a torcida do time turco, conhecida pelo fanatismo.

"A torcida realmente é atípica. Eles são muito fanáticos, cobram bastante, mas apoiam que é um absurdo. Pra jogar aqui, tem que ter muita personalidade, não só qualidade. Muitas vezes você tem só qualidade, mas acaba não jogando. O importante para eles é sair suado de campo", ensina o brasileiro, que ainda não levantou troféus pelo clube.

"Você precisar dar seu melhor sempre, tentar o máximo em todos os lances. Mesmo que você erre algo, eles sabem reconhecer seu esforço e te empurram de uma forma que nunca vi. A torcida é um combustível extra que temos aqui. Por isso, quando eles lotam o estádio e apoiam a gente, ficamos praticamente imbatíveis em casa", salienta.

Um clássico contra o rival Galatasaray, em novembro do ano passado, ilustrou bem.

"Nesse jogo eu sofri um pênalti, o Van Persie fez o gol e ganhamos de 2 a 0. Eu fui eleito o melhor em campo e muito elogiado por todos. Foi um dos melhores jogos que fiz na Turquia. Nos dias seguintes, foi só festa pra mim (risos)", diverte-se Souza.

"A torcida vai ao CT e traz flores, dá beijo no rosto, nos abraça. A gente no Brasil não está acostumado com isso. No máximo uma selfie e um autógrafo. O carinho deles é fantástico. Na rua, eles nos param o tempo todo para foto, abraço e dar um beijo no rosto (risos). No começo eu achava estranho, mas hoje acho o máximo", exalta.

A vida em Istambul, aliás, não poderia estar melhor, mesmo com todas as diferenças culturais entre brasileiros e turcos.

"Eu me adaptei bem demais à cidade junto com a minha família. Eles pagam bem, e ainda tem essa situação com a torcida que é ótima, ainda mais que eles adoram brasileiros por causa do Alex. Tenho um carinho enorme pelo clube", ressalta.