<
>

Sampaoli chega a acordo para sua saída da seleção argentina

O vínculo entre Jorge Sampaoli e a seleção da Argentina chegou ao fim. Segundo pôde confirmar a ESPN, a saída do técnico se acertou com uma quantia menor que a da cláusula de saída original, mas um pouco maior que se esperava até a próxima Copa América.

No sábado, durante uma longa rodada de negociações entre advogados de ambos, chegou ao acordo sobre a saída. Neste domingo, será assinado o acordo de desvinculação, e na segunda ocorrerá o anúncio oficial.

O acerto seria cerca dos 2 milhões de dólares, um 10% do que apontava o contrato, e teria sido gerido pelo presidente da AFA, Claudio Tapia, que teria perguntado diretamente ao advogado de Sampaoli: “Quanto quer para ir?”

Sampoali havia pensado manter seu contrato vigente e dirigente a seleção sub-20 no Torneo de L’Alcúdia. No entanto, o ex-comandante da Universidad de Chile esperava um gesto para terminar seu ciclo.

A participação da Argentina na Copa do Mundo da Rússia foi o principal ponto para a saída do treinador, já que a dura derrota diante da Croácia na fase de grupos e a posterior eliminação para a França nas oitavas de final, foram considerados como um fracasso para um país que era candidato ao título.

Sampaoli assumiu o comando da seleção em junho de 2017 e pegou a Argentina em uma situação desconfortável na eliminatória sul-americana, na quinta posição. O técnico conseguiu classificar o país com dificuldade.

Sem nunca conseguir encantar no cargo, o treinador viu a pressão ficar ainda maior na fase de grupos, depois que a Albiceleste estreou com empate com a Islândia e perdeu por 3 a 0 para a Croácia. À época, surgiu rumores de que o técnico poderia nem ficar no banco diante da Nigéria, adversário que a Argentina venceu para se classificar às oitavas. Na sequência, veio a eliminação para a França nas oitavas de final.

Em meio à possibilidade de uma queda da Argentina na fase de grupos, o clima ruim no ambiente argentino sempre foi uma temática.