<
>

Após 37 anos, homens e mulheres assistem ao jogo do Irã na Copa do Mundo juntos em estádio

play
No sufoco, Espanha vence Irã por 1 a 0; veja as melhores imagens da partida (0:59)

É a primeira vitória dos espanhóis no torneio (0:59)

Pela primeira vez após 37 anos, foi permitido pelas autoridades iraniana que mulheres e homens pudessem acompanhar juntos a uma partida de futebol em um estádio.

A derrota do Irã por 1 a 0 para a Espanha, pelo grupo B da Copa do Mundo foi transmitido no Azadí, em Teerã, com público de cerca de 20 mil pessoas.

As mulheres iranianas são proibidas de frequentarem estádio de futebol em seu país desde a revolução Islâmica, em 1979.

A ideia era permitir a entrada da torcida feminina já no duelo de estreia da seleção da casa, contra o Marrocos, na sexta-feira passada, mas a autorização necessária do Conselho Provincial de Teerã não chegou a tempo.

Torcedores se mobilizaram para que as iranianas passem a frequentar estádios em seu país. Como forma de suporte, também foi criado um abaixo assinado por Maryam Qashqaei para pressionar o presidente da FIFA Gianni Infantino a tomar alguma providência em relação a não participação de iranianas nos estádios.

Uma parte da descrição do abaixo-assinado diz que o maior estádio do Irã é chamado de Azadi, que significa “liberdade”, o que não faz sentido já que ele não pode receber mulheres. Até terça-feira (19/06), petição já tinha recebido mais de 63 mil assinaturas e tem como meta 75 mil.

Nas redes sociais, como forma de apoio, as pessoas estão espalhando a hashtag #NoBan4Woman.

COMO FOI

Os torcedores, muitos deles com os rostos pintados com as cores nacionais, durante todo o jogo não deixaram de apoiar o Irã com suas vuvuzelas.

A tela gigante instalada no estádio emitia uma imagem de má qualidade e que no começo até o som não transmitia. Especialmente para as mulheres, foi uma oportunidade única para estar no estádio, com o resultado da partida em segundo lugar.

Bahar, uma garota de 25 anos que veio com alguns amigos, disse à EFE que era sua primeira vez no estádio, mas esperava que não fosse a última porque sentia muita "liberdade".

O diretor do complexo esportivo Azadí, Naser Mahmudifard, informou hoje a transmissão no estádio, mas até pouco antes da reunião tudo indicava que ele iria cancelar.

A polícia cortou até uma das entradas da rodovia para a região e indicou que o evento havia sido suspenso. Finalmente, porém, resolveram o problema das permissões e os espectadores puderam aproveitar a partida.