<
>

Luis Suárez já foi considerado grosso por empresário, pobretão e dependia de brasileiro para ir à balada

Herói da vitória do Uruguai por 1 a 0 sobre a Arábia Saudita na segunda rodada da Copa do Mundo, Luis Suárez é um dos melhores atacantes do mundo. Joga no Barcelona, já disputou três Mundiais e ganha um salário milionário.

Mas nem sempre foi assim.

Em seu início de carreira, no Nacional de Montevidéu, o garoto nascido na cidade de Salto passou muitas dificuldades financeiras enquanto morava de favor na casa de sua avó, na capital uruguaia.

Além disso, era tratado com descrédito por seu próprio empresário, que não levava fé alguma em seu futebol.

Quem conta é o também atacante Vanger Conceição da Silva, de 31 anos. Hoje no Globo-RN, o brasileiro tornou-se amigo de Luis Suárez quando jogou no pequeno Fénix, do Uruguai, no início de carreira.

Como ambos tinham o mesmo agente, o ex-atacante Daniel Fonseca, acabaram se aproximando e viraram hermanos. Nos tempos em que "Luisito" não tinha um tostão no bolso, o amigo Vanger pagava jantares e até baladas para o colega.

"O Suárez era um menino muito pobre, vindo do interior, e vivia com a avó em Montevidéu. Enquanto ele estava na base do Nacional, eu já ganhava uma grana legal por ser profissional no Fénix, e a gente saía muito. Eu pagava junto com os amigos a conta dele na discoteca e nos restaurantes, pois ele não tinha condição", contou.

Conhecedor de El Pistolero desde o início da carreira, o brasileiro, que passou por times como Alecrim-RN, Horizonte-CE, Boa Esporte-MG, Icasa-CE, Tombense-MG, Visé (Bélgica) e Litex Lovech (Bulgária), revela inclusive que o hoje jogador do Barça inclusive já gostava de dar suas mordidas desde o tempo da base.

"Ele já tinha essa brincadeira de morder desde a base, sempre 'zoava', mesmo (risos). Às vezes, era expulso, pagou o pato por isso várias vezes", relatou o amigo.

Por uma dentada no zagueiro Chielini, da Itália, porém, Suárez foi até expulso do Mundial de 2014 e levou um gancho pesado da Fifa. "Ele é uma pessoa maravilhosa, mas dentro de campo se transforma", opina Vanger.

Empresário achava Suárez "perna de pau"

O brasileiro também revelou que o empresário Daniel Fonseca, ex-atacante de grandes times italianos, como Juventus, Roma e Napoli, não acreditava que "Luisito" fosse vingar. No entanto, o centroavante foi até hoje o jogador que mais rendeu dinheiro em transferências ao agente, já que passou por Groningnen (Holanda), Ajax e Liverpool até chegar ao Barcelona por "módicos" 81 milhões de euros (R$ 266 milhões).

"O Fonseca falava que o Suárez era um dos piores jogadores que ele tinha, porque abaixava muito a cabeça e não sabia dar um drible, acredita (risos)?", afirmou Vanger.

"No futebol, às vezes não quer dizer que só pela qualidade técnica você vai vencer. O esforço conta muito, e isso ele tem de sobra. Hoje, é um grande ídolo do Uruguai!", celebrou o atacante, feliz em ver o amigo alcançar grandes feitos na carreira.

Depois que Luis Suárez foi para o Groningen e deu início à sua trajetória de sucesso no futebol europeu, contudo, Vanger perdeu contato com o antigo parceiro de balada. Sem conversar mais com o amigo, segue acompanhando de longe os gols de El Pistolero, enquanto tenta marcar os seus com o uniforme do Globo-RN.

"O Luis é um cara muito legal, que chegou aonde chegou com todos os méritos. Desejo toda a sorte do mundo a ele", finalizou o brasileiro, saudoso do hermano.