<
>

El-Hadary, do Egito, disputará Copa do Mundo com 45 anos; relembre outros 'vovôs'

'Heróis' da Copa do Mundo Montagem ESPN com Getty Images

Dizem que o futebol é um jogo de homens jovens, já que explosão física e velocidade são fundamentais para um bom desempenho. Porém, a experiência também é algo importante e em muitos jogos isso pode fazer a diferença. Em 2018, por exemplo, o goleiro Essam El-Hadary, de 45 anos, se tornou no jogador mais velho a ser convocado para a Copa do Mundo e, apesar da idade avançada, é fundamental para que o Egito consiga um bom desempenho.

E ele não é o único, já que em toda a história da competição, alguns atletas com idade bastante elevada brilharam, sendo importantíssimos para que suas equipes obtivessem um bom resultado. Confira, a seguir, cinco veteranos que brilharam em Copas:

1- DINO ZOFF (ITÁLIA - 1982)

O lendário goleiro italiano tinha 40 anos quando disputou a Copa do Mundo de 1982. E isso não o impediu de brilhar e ser um dos principais personagens no título da Itália, sendo um dos melhores em campo na vitória de sua equipe sobre o Brasil, na segunda fase da competição e também na final, contra a Alemanha Ocidental.

Bastante reservado e humilde, Zoff foi o principal responsável por manter a equipe italiana "com a cabeça no lugar" e sem se precipitar em momentos importantes. Para se ter ideia, após a grande atuação contra o Brasil, ao invés de comemorar efusivamente, o goleiro não falou sequer uma palavra, se limitando a dar um beijo na bochecha de seu treinador, Enzo Bearzot.

Com 40 anos, Zoff foi o jogador mais velho a jogar uma final de Copa e, como era capitão, o mais velho a levantar a taça. No grupo italiano, havia um jogador com menos de metade de sua idade na ocasião: o zagueiro Giuseppe Bergomi, que tinha 18 anos na época.

2- ROGER MILLA (CAMARÕES - 1990 E 1994)

No início da Copa de 1990, a idade oficial de Milla era de 38 anos, mas muito se suspeitava que ele tinha mais, já que iniciou a carreira em 1965, o que indica que ele tinha apenas 13 anos quando isso aconteceu. Ele sequer jogadora a Copa, já que havia desistido do futebol profissional e passou alguns anos atuando por uma pequena equipe das Ilhas Reunião. Foi uma ligação do presidente de Camarões que o fez mudar de ideia e disputar o Mundial.

E a iniciativa deu certo, já que Milla foi um dos grandes nomes daquele Mundial, com quatro gols marcados e levando Camarões até as quartas de final, a melhor campanha da história de sua seleção.

Seu desempenho foi tão marcante, que ele seguiu na seleção, sendo convocado também para a Copa de 1994, quando tinha 42 anos. Como fez um gol na competição, se tornou no atleta mais velho a marcar na história dos Mundiais.

3- PETER SHILTON (INGLATERRA - 1990)

Um dos maiores goleiros ingleses da história, Peter Shilton estrou em Copas do Mundo quando já tinha 32 anos, na Espanha, em 1982. Depois disso, ainda jogou mais dois Mundiais, sendo um dos destaques de sua equipe na campanha em 1990, quando a Inglaterra chegou até a semifinal.

Durante a campanha, foi importantíssimo nas vitórias sobre Egito, Bélgica e também Camarões, de Roger Milla. No jogo que marcou a eliminação inglesa, contra a Alemanha Ocidental, se tornou o capitão mais velho em um jogo de Copa.

Com 125 jogos pela seleção, Shilton detém até hoje, ao lado do francês Barthez, o recorde de mais jogos em Copas sem tomar gols, com 10.

4- LEV YASHIN (UNIÃO SOVIÉTICA - 1966)

Na opinião de muitos, o maior goleiro da história do futebol. Era conhecido pela alcunha de Aranha Negra na América do Sul, ou Pantera Negra na Europa, devido ao uniforme todo preto que usava. É até hoje o único goleiro a ganhar a Bola de Ouro da revista France Football, em 1963. Em sua carreira, conseguiu a marca de em mais de metade de seus jogos não tomar nenhum gol.

Foi convocado para quatro Copas, mas só atuou em três, já que em 1970, com 40 anos, não entrou em campo. No Mundial de 1966, fez uma defesa considerada impossível nas quartas de final contra a Hungria, classificando a União Soviética para a semifinal.

Conhecido por seu espírito esportivo, por sua capacidade atlética e por sua excepcional elegância, Yashin também foi um dos melhores pegadores de pênalti da história e segundo estatísticas, defendeu 150 penalidades na carreira. Seu segredo? Beber um copo de licor e fumar um cigarro antes de cada jogo.

Além disso, ele também foi o primeiro goleiro a não atuar exclusivamente debaixo das traves, ajudando a defesa e na saída de bola, conseguindo inúmeros contra-ataques para suas equipes.

5- CAFÚ (BRASIL - 2006)

Simplesmente o único jogador a disputar três finais de Copas do Mundo. E consecutivamente, em 1994, 1998 e 2002, sendo campeão em duas oportunidades, sendo a última delas como capitão. Por toda essa experiência, chegou ao Mundial de 2006 como uma referência.

Aos 36 anos, sendo 16 de seleção, Cafú não brilhou naquela Copa, visto que o Brasil como um todo não foi bem, sendo eliminado nas quartas de final, pela França. Porém, é um verdadeiro detentor de recordes, já que é o jogador com mais jogos pela seleção: 149.