<
>

Presidente do Nacional questiona punição por gesto de torcedores contra Chape

O presidente do Nacional, José Luis Rodríguez, classificou nesta terça-feira como excessiva a punição imposta pela Conmebol ao clube, por causa dos gestos ofensivos de dois torcedores durante jogo com a Chapecoense, pela ida da segunda fase da Copa Libertadores.

A entidade continental multou o clube uruguaio em US$ 80 mil (R$ 262,5 mil) e vetou a entrada de fãs da equipe em três partidas como visitante, por competições continentais.

"Pensávamos que iríamos ter suspensão de um jogo como visitante, mas não três. Me parece muito", disse o dirigente, em entrevista à rádio Sport 890.

Durante o jogo realizado na Arena Condá, em Chapecó, dois torcedores foram filmados gesticulando como se aviões caíssem, em referência à tragédia aérea ocorrida em novembro de 2016, que matou quase toda a delegação da Chapecoense que viajava para Medellín.

Nesta terça, Rodríguez admitiu que os advogados do clube "estão analisando" a possibilidade de recorrer da decisão da Conmebol. Anteriormente, o Nacional já adiantou que os dois torcedores foram afastados do quadro de sócios e proibidos de entrar no estádio Gran Parque Central.