<
>

Jornal: Roma aceita, e Chelsea pagará R$ 235,3 milhões por Džeko e ex-lateral do Santos

O Chelsea deverá oficializar nas próximas horas as contratações do lateral-esquerdo Emerson Palmieri e do atacante Edin Džeko, ambos da Roma.

A negociação envolvendo os dois jogadores será próximo dos 60 milhões de euros (R$ 235,3 milhões), acima do que o Chelsea esperava pagar quando iniciou as negociações, que girava em torno de 45 milhões de euros (R$ 176,4 milhões).

Tanto a lateral-esquerda e o ataque eram prioridades para os Blues nesta janela de transferências. Marcos Alonso é o único que atua pelo lado na defesa e não tem um reserva imediato. Para o ataque, o titular Álvaro Morata vive má fase e o reserva Michy Batshuayi ainda não convenceu nas oportunidades que teve.

E na procura por jogadores nestas funções, o Chelsea encontrou ambos na mesma equipe. Nos últimos dias, o clube abriu conversas e demonstrou seu interesse por Palmieri e Džeko.

Todas as propostas feitas pelos ingleses envolviam os dois jogadores, e não havia o interesse em adquirir apenas um deles. Devido ao fechamento da janela em poucos dias, tinha a necessidade em negociar rapidamente para que, caso não resultasse em um acordo, pudesse voltar suas atenções para outros nomes na lista.

Ainda assim, um dos fatores que tinha de ser contornado era convencer a jogar pelo Chelsea. O lateral não se opôs a negociação, mas foi Džeko que relutou em aceitar se mudar a Londres.

O atacante é o principal jogador da Roma e um dos mais queridos pela torcida. Uma saída não estava nos planos, tanto que recentemente o jogador havia comprado uma nova casa na cidade.

Porém, tudo mudou a partir de uma ligação de Antonio Conte. O técnico conversou com Džeko na noite de ontem e o convenceu para que voltasse a Premier League - ele defendeu o Manchester City entre 2011 e 2015.

Ainda ontem, o atacante começou a se organizar para viajar a Inglaterra e assinar contrato com os Blues.

Depois de muito procurar, o Chelsea fecha finalmente com os jogadores que desejava e, ao que tudo indica, se retira do mercado de transferências.