<
>

Segunda-feira é o 'dia D' de Rueda no Flamengo; relembre técnicos que já abandonaram o clube

play
Relembre como Mano Menezes anunciou sua demissão do Flamengo em 2013 (2:08)

Após derrota por 4 a 2 para o Atlético-PR no Maracanã pelo Brasileiro, treinador deixou o cargo de forma surpreendente (2:08)

Esperado para se reapresentar nesta segunda-feira, o colombiano Reinaldo Rueda pode comunicar sua saída do Flamengo para comandar a seleção do Chile. Caso isso ocorra, não será a primeira vez que um treinador deixa a Gávea no meio de um trabalho.

Quase dez anos atrás, Joel Santana vivia um clima de romance com a torcida rubro-negra, pois havia tirado a equipe carioca da zona de rebaixamento do Brasileiro de 2007 e conquistado uma vaga na Copa Libertadores da América.

O casamento durou até maio do ano seguinte, quando o treinador recebeu um convite para assumir a seleção da África do Sul, que sediaria a Copa do Mundo de 2010, para suceder Carlos Alberto Parreira, que havia saído.

A despedida no Maracanã tinha tudo para ser uma grande festa. Antes do jogo contra o América do México, pela Libertadores, Papai Joel ganhou placa, aplausos da torcida e se emocionou. Até mesmo seu sucessor, Caio Júnior, já estava definido.

Com a bola rolando, porém, o oba-oba transformou-se em um dos maiores vexames da história. Apático, o Flamengo (que havia vencido o América por 4 a 2 no México) perdeu por 3 a 0 e foi eliminado. Foram dois gols do paraguaio Cabañas.

Para piorar, Joel não conseguiu bons resultados no comando da África do Sul e foi demitido antes da Copa do Mundo, sendo substituído por Parreira, seu antecessor.

Já em 2013, o abandono do treinador terminou de maneira mais feliz. O Flamengo vivia uma situação complicada, com três treinadores no mesmo ano. Dorival Júnior e Jorginho tinha sido demitidos pela diretoria antes da chegada de Mano Menezes.

O treinador gaúcho, porém, durou cerca de quatro meses no cargo. Após o time carioca sofrer a virada no Maracanã para o Atlético-PR por 4 a 2, ele chegou quase uma hora de atraso à sala de imprensa do estádio e comunicou sua saída do clube carioca.

"Senti no resumo do jogo de hoje que não consegui passar para esse grupo aquilo que penso sobre futebol. Quando um técnico não consegue fazer isso e sente seu time está estagnado e as coisas se repetem, precisamos sempre falar as mesmas coisas, cobrar as mesmas coisas é porque ele precisa sair", disse.

O ex-técnico do Corinthians e da seleção brasileira comandou o time rubro-negro em 22 jogos, obtendo 9 vitórias, 6 empates e 7 derrotas. No Brasileirão, Mano deixou a equipe na 15ª posição com 26 pontos, apenas dois pontos à frente da zona de rebaixamento.

Em 2017, ele explicou ao programa Bola da Vez, da ESPN Brasil, que sua rescisão foi motivada pelo excesso de baladas de alguns jogadores.

"Aconteceram fatos que me levaram a tomar uma atitude radical e ainda pagar a multa rescisória. Nós havíamos feito um resultado em um jogo contra o Cruzeiro pela Copa do Brasil, mas os jogadores comemorado fora do limite do profissionalismo no futebol", contou Mano.

O auxiliar Jayme de Almeida assumiu seu lugar e terminou a Série A na 16ª posição, com 45 pontos ganhos (o clube foi punido pelo STJD com a perda de 4 pontos por escalação de jogador irregular). Em compensação, levou a equipe rubro-negra até a conquista da Copa do Brasil, derrotando o Atlético-PR na decisão.