<
>

'Presença' de Maradona, 'desejo de Deus' e roteiro de filme: as memórias de Messi, ao Star+, sobre o Qatar

play
Empolgação! Messi é recebido com festa em hotel após classificação às quartas contra Austrália; VEJA (0:07)

Craque marcou um dos gols na vitória por 2 a 1 (0:07)

O dia 18 de dezembro de 2022 ficou eternizado na história. Da Argentina e do futebol.

Em entrevista exclusiva ao Star+ sobre os bastidores do tricampeonato da Argentina na Copa do Mundo, Lionel Messi, estrela maior daquela companhia comandada por Lionel Scaloni no Qatar, não escondeu a emoção por ter conseguido dar a volta por cima diante de um cenário de fracassos com a seleção nacional para enfim ser amado por seu povo.

“Passei muito mal. Minha família, as pessoas que me amam. Foram muito injustos com aquele grupo e disseram tudo sobre mim. Todo o povo argentino. Hoje 95 ou 100 % dos argentinos me amam, e isso é lindo”, confessou o craque durante uma extensa conversa com o jornalista Sebastián Vignolo, da ESPN, na propriedade da Federação Argentina de Futebol que leva seu nome.

Veja abaixo outros momentos de destaque das memórias de Messi ao Star+ sobre a conquista da Copa do Mundo no Qatar. Entre eles a “presença” de Maradona e a certeza de que um dia seria campeão mundial: “Sabia que Deus queria”

A entrevista de Messi foi concedida para a série "Campeões, um ano depois", exclusiva do Star+ e ainda sem data de estreia prevista para o Brasil.

A memória da glória, um ano depois

“Se fosse para fazer um filme, ninguém teria pensado assim. Que tivesse acontecido do jeito que aconteceu depois de tudo o que aconteceu... as decepções na Copa América e nas Copas do Mundo. Foi extraordinário, impressionante”, disse.

O que a Copa do Mundo significa para Messi?

"É a mais desejada por todos. Todo mundo sonha grande, e o maior é ser campeão com a seleção. Tive a sorte de conseguir tudo por clubes em Barcelona, e também individualmente. Foi única. São poucos os jogadores que podem dizer que conseguiram tudo. E graças a Deus sou um deles”.

“Com esforço, sacrifício, trabalho e humildade você alcança seus objetivos. O caminho pode ser difícil, mas você tem que continuar lutando pelos seus sonhos para tentar alcançá-los. Às vezes acontece, outras vezes não, mas não podemos parar de tentar nunca. Adoro jogar bola, adoro vir para a seleção, adoro estar em campo e antes não podia aproveitar como faço hoje”.

“Tinha certeza de que seria campeão mundial”

“Falei isso há alguns anos. Tinha certeza que ia ser campeão mundial. Foi antes de perder a final no Brasil [em 2014]. Aí aconteceu. Eu tinha uma coisa: sabia que Deus queria que eu fosse campeão mundial. Sempre confiei nisso. Tinha muitas pedras no caminho, mas no final aconteceu”.

Acompanhando o povo no Qatar

“No caminho para o campo tomamos mate, mais perto do estádio começamos a cantar, vimos as pessoas chegando. Vimos argentinos por toda parte, sabíamos que jogávamos como locais em todos os jogos”.

“Diego está sempre presente”

“Diego Maradona esteve sempre presente durante toda a Copa do Mundo. Quando você joga pela seleção, ele está sempre presente. Nas músicas, nas arquibancadas, todos o exaltam e lembram dele”.

Voltar à Argentina com a taça “foi uma loucura”

A seleção argentina chegou ao país de madrugada e viveu um dia que ficou eternizado na história da Argentina. “Quando descemos do avião imaginei mais gente. Só havia jornalistas, câmeras, fotógrafos. Já era muito tarde e estavam todos fora do aeroporto. Quando saímos do terminal foi impressionante. Chegamos às 3, 4 da manhã, e eu não conseguia mais dormir naquela hora. Às 6 horas, liguei a TV e o Obelisco estava cheio, gente por toda parte”.