<
>

Benedetto fez discurso forte no vestiário, pediu para bater último pênalti e foi embora chorando após ser 'vilão' contra Corinthians

Dario Benedetto perdeu dois pênaltis - um nos 90 minutos e outro na disputa - e teve noite para esquecer na eliminação do Boca Juniors para o Corinthians na Conmebol Libertadores


O Boca Juniors não avançou às quartas de final da Conmebol Libertadores. Na última terça-feira (5), os xeneizes foram derrotados nos pênaltis pelo Corinthians e deram adeus à competição. E a noite foi traumática para Dario Benedetto.

O atacante argentino perdeu duas cobranças, uma no tempo normal, que poderia ter dado a classificação ao clube, e outra na disputa por penalidades, que era decisiva e, caso acertasse, colocaria a equipe treinada por Sebastián Battaglia na fase seguinte.

Discurso forte na entrada ao campo

Nos vestiários da Bombonera, Benedetto, um dos principais e mais experientes nomes do elenco do Boca, pediu a palavra para levantar a moral dos companheiros. No discurso voraz, o camisa 9 citou a partida de ida na Neo Química Arena.

"Eu digo uma coisa a vocês, eles nos trataram como perdedores lá, então vamos mostrar a esses filhos da puta que somos vencedores."

Pênaltis perdidos e lágrimas de tristeza

Aos 26 minutos do primeiro tempo, após lance envolvendo Raul Gustavo e Pol Fernández na área, a arbitragem consultou o VAR e marcou penalidade. Na cobrança, Benedetto soltou uma bomba e acertou a trave de Cássio.

Com a persistência do 0 a 0, a decisão por uma vaga nas quartas de final foi para a marca da cal. Após Rossi pegar as cobranças de Raul Gustavo e Bruno Melo, coube ao centroavante bater a quinta cobrança argentina e dar a classificação ao Boca. No entanto, isolou a bola, mandando-a ao segundo nível de arquibancadas da Bombonera e mantendo o Timão na briga.

Na entrevista coletiva, Battaglia revelou que veio do atacante o pedido para bater o quinto penal.

"Foi decisão dele bater o quinto pênalti. Estava com confiança e sempre damos confiança a todos. Elegemos quem bateria o primeiro, segundo, terceiro, quarto e quinta e vamos definindo de acordo com o que foram as outras decisões por pênaltis", disse o treinador.

Quando a cobrança de Gil atravessou os dedos de Rossi e o clube paulista saiu classificada, Benedetto não teve outra reação a não ser ir às lágrimas pela posição de 'vilão' em que se encontrava.