<
>

Por que Andreas Pereira causa dor de cabeça no Flamengo e pode abrir brecha para surpresa no time até chegada de Vidal

play
Flamengo: Vidal e mais dois! Pedro Henrique Torre revela detalhes do mercado rubro-negro; VEJA (3:55)

Equipe busca reforços para fortalecer o elenco no restante da temporada (3:55)

Volante deixou o clube após o seu empréstimo na última semana, retornando ao Manchester United


O Flamengo vive momentos de paz após a chegada de Dorival Jr. A equipe vem de três vitórias seguidas e busca garantir a classificação às quartas de final da Conmebol Libertadores diante do Tolima, nesta quarta-feira (6), às 21h30, com transmissão pela ESPN no Star+. Mas um assunto ainda tira o sono do treinador: o meio-campo.

No jogo de ida, Andreas Pereira se despediu marcando o gol que garantiu a importante vitória. Sem ter a compra em definitiva realizada pelo Flamengo, o camisa 18 deu adeus aos companheiros para retornar ao Manchester United. E deixou uma dúvida na cabeça do treinador.

Desde a partida contra o Atlético-MG, na ida das oitavas da Copa do Brasil, Dorival Jr. decidiu implementar de vez o esquema 4-1-4-1, que o vem acompanhando nas últimas partidas. Sem Andreas, o comandante ainda não tem definido quem vai atuar.

Com todo o elenco à disposição, Dorival deve manter o trio de ataque sendo formado por Everton Ribeiro, Arrascaeta e Gabigol. Com isso, três vagas ainda restam no meio-campo, com cinco atletas brigando por elas.

Thiago Maia, Willian Arão, João Gomes, Diego Ribas e Victor Hugo disputam o espaço. Os três primeiros surgem como favoritos para que sejam os integrantes da trinca. No entanto, Dorival, que pediu a permanência de Andreas Pereira, tem em mente que nenhum deles faz função parecida, que consegue marcar e chegar ao ataque para finalizar.

O 'novo Andreas' no estilo será Arturo Vidal, que está próximo de ser anunciado. No entanto, por ser uma transferência internacional, ele só pode atuar a partir de 18 de julho. Com isso, um nome começa a ganhar força no Ninho: Victor Hugo.

Titular contra o Santos, o jovem deixou uma boa impressão e se tornou mais uma opção para o setor. Com pegada na marcação, Victor Hugo se aproxima ao estilo de João Gomes, outra grata revelação do time carioca.

Na visão da comissão técnica, que decidiu colocar o meia-atacante para jogar mais recuado, Victor Hugo é a peça que pode ajudar mais que todos os atletas do setor quando é necessário pisar na área adversária. E a atuação diante do Santos rendeu elogios do chefe.

"Olha, eu espero (que ele possa substituir Andreas à altura). Se ele repetir o que fez hoje... Fez uma partida excelente, equilibrada, parecia um veterano em campo, sabendo o que fazia com a bola, se posicionando muito bem, jogando de maneira simples e eficiente", exaltou.

"Quando ele girava, partida com muita segurança em cima da última linha adversária. Teve comportamentos excelentes, e isso mostra a efetividade do trabalho da base do clube, o quanto esses garotos chegam preparados ao time de cima", seguiu.

Quem é Victor Hugo

Aos 18 anos, Victor Hugo é mais uma cria do Ninho que é cercada de muita expectativa. Um dos destaques do time sub-17 da temporada passada, quando anotou 28 gols e deu 15 assistências. Em 2022, o jovem foi convocado para o profissional ainda com idade de sub-20. E vem agradando.

Primeiro com Paulo Sousa, quando começou atuando aberto pela direita. A primeira oportunidade veio contra o Talleres, na Conmebol Libertadores. Depois disso, foi ele quem ajudou na classificação contra o Altos-PI na Copa do Brasil.

Na ida, Victor Hugo serviu João Gomes para garantir a vitória por 2 a 1 do time carioca. Na volta, triunfo por 2 a 0 e outra vez participação do jovem. No dia do aniversário de 18 anos, Victor Hugo anotou seu primeiro gol como profissional.

Multa rescisória astronômica

Assim como Matheus França, principal joia da categoria, Victor Hugo está protegido por alta multa rescisória.

A multa para romper o vínculo é de 100 milhões de euros, cerca de R$ 550 milhões. Apesar de saber que é praticamente impossível vender o jogador pelo teto da cláusula, o Flamengo coloca Victor Hugo na primeira prateleira das joias e o faz ocupar status parecido com o de Vinicius Jr., Paquetá e Reinier, todos vendidos por 30 milhões de euros ou mais.

Reinier foi comprado pelo Real Madrid por 30 milhões de euros. Paquetá foi vendido ao Milan por 35, enquanto Vinicius Jr. puxa a fila de venda mais cara da história do Flamengo: 45 milhões de euros.

play
3:55

Flamengo: Vidal e mais dois! Pedro Henrique Torre revela detalhes do mercado rubro-negro; VEJA

Equipe busca reforços para fortalecer o elenco no restante da temporada