<
>

Campeão da Libertadores com o Corinthians revela atitude de Riquelme que o chocou antes da final de 2012: 'Está de sacanagem'

Zagueiro Leandro Castán concedeu entrevista ao podcast "Glória Eterna", da ESPN, e falou sobre a final da Libertadores de 2012, entre Corinthians e Boca Juniors


Em entrevista ao podcast "Glória Eterna", da ESPN, o zagueiro Leandro Castán relembrou a final da Conmebol Libertadores de 2012, vencida pelo Corinthians sobre o Boca Juniors.

Na conversa, o defensor relembrou o 1º jogo da decisão, em La Bombonera, e confessou que ficou arrepiado com a festa feita pela torcida xeneize antes da bola rolar em Buenos Aires.

"Jogar na Bombonera, uma final de Libertadores, me arrepia até hoje. Quando a gente entra em campo fiquei uns 30 segundos, um minuto, olhando para arquibancada… Então assim, foi realmente impressionante", afirmou.

"Depois que passou o nervosismo, foi aproveitar mesmo aquele momento. É um momento único! jogar uma final de Libertadores, pelo Corinthians, que nunca tinha conquistado, contra o Boca Juniors, um dos mais vitoriosos da Libertadores…", exaltou.

Castán também recordou o fato do principal destaque do Boca, o meia Juan Román Riquelme, parecer desinteressado na partida, mesmo sendo uma final continental.

Ocorre que, na época, o genioso craque havia brigado com o técnico Julio César Falcioni, com quem tinha péssima relação, e vinha dando ultimato à diretoria xeneize: só havia espaço para um no Boca.

No fim das contas, Falcioni foi mandado embora depois da derrota do time argentino no 2º jogo para o Timão, enquanto Riquelme ficou.

"Eu lembro de um negócio interessante… A gente (estava) nervoso pra caramba, entrando em campo e a Bombonera um barulho que não dava pra escutar nada. Na hora de cumprimentar os jogadores, eu olho para o Riquelme e ele ainda (estava) com as chuteiras desamarradas… E eu falando: 'Caramba, esse cara está de sacanagem comigo, cara!'. Ele não estava nem aí, parecia que não estava nem aí para o jogo!", afirmou.

"Mas quando a gente olha pra cara dos argentinos, meio que esnobes, aquilo deu uma força pra gente também. A gente colocou a rivalidade Brasil x Argentina… 'A gente não vai perder pra esses caras, não. Não vamos perder nem a pau pra esses caras!'", exclamou.

Leandro Castán foi titular nos dois jogos das finais e se tornou um dos grandes ídolos da torcida corintiana com a inédita conquista da Libertadores.

Logo após o título, aliás, ele deixou o Corinthians para jogar na Roma, equipe que defendeu entre 2012 e 2018.

Para ouvir a entrevista completa com o zagueiro, é só clicar no player abaixo: