<
>

Como 'aventura louca' fez torcedor se perder após jogo da Inter de Milão e morar nas ruas por 10 anos: 'Tinha 20 euros no bolso'

Rolf Bantle foi assistir a uma partida do Basel contra a Inter de Milão em 2004, no Giuseppe Meazza, mas se perdeu dos amigos e só voltou para casa 10 anos depois


Imagina você viajar para um país vizinho com um intuito de assistir uma partida de futebol, mas no fim das contas se perder e só voltar para casa 10 anos depois. Essa é daquelas histórias que têm cara de ficção, mas que na verdade aconteceram na vida real.

O personagem desta odisseia tem nome e nacionalidade: Rolf Bantle, que é da Suíça. Em 2004, o aposentado viajou para Milão, na Itália, para acompanhar a partida de volta entre Basel e Inter de Milão, pelo playoff da Champions League da temporada 2004/05, no Giuseppe Meazza. E além de ter visto o seu time do coração ser goleado por 4 a 1 pelos italianos e perder a chance de ir à fase de grupos da competição europeia, se perdeu e demorou (bastante) para voltar.

Segundo Bantle, ele foi para a Itália acompanhado de alguns amigos, mas durante a partida, quando foi ao banheiro, começou a se sentir desorientado e ficou perdido pelo estádio. Como não tinha nenhum compromisso marcado para o dia seguinte, resolver permanecer em Milão, mesmo que morando nas ruas, e por uma longa década.

"De repente, eu estava em um setor diferente (do estádio)", começou por dizer, em entrevista ao jornal alemão Schweiz am Sonntag, concedida em 2015.

“Eu tinha cerca de 20 euros no bolso e nenhum telefone, então fiquei em Milão", prosseguiu.

Ainda segundo o aposentado suíço, durante o período em que morou nas ruas da cidade italiana, ele contou com o apoio de outras pessoas, que deram comida e até um saco de dormir para que ele pudesse se manter na Itália.

“As pessoas me deram comida e cigarros, e um estudante me ofereceu um saco de dormir", contou.

Pelo fato de não ter voltado para a Suíça após o jogo, Bantle foi dado como desaparecido, mas como estava em uma clínica de reabilitação antes de viajar para a Itália (por conta do consumo em excesso de álcool) e não tinha parentes próximos, nunca ninguém foi resgatá-lo.

Durante 10 anos, ele tomou banho semanalmente em um banheiro público e, como distração, visitava com frequência uma biblioteca local.

"Não havia mais nenhuma razão para eu ir para casa. Gostei da liberdade de Milão", contou.

O aposentado só voltou para a Suíça por conta de uma fratura no fêmur. Ele foi levado ao hospital, mas como não tinha plano de saúde, a embaixada suíça foi acionada e o levou de volta para casa. Na época da entrevista, ele vivia em uma asilo de idosos em solo suíço.

"Eu gosto daqui (asilo). Dez anos são suficientes e aqui me sinto muito bem agora", finalizou.