<
>

10 anos da Libertadores do Corinthians: Sem ir ao estádio, Péricles quase perdeu show por causa da final contra o Boca Juniors

Torcedo fanático do Corinthians, Péricles relembra de como foi acompanhar a caminhada da equipe na Libertadores e relembra emoção da final: “Quase fiquei completamente sem voz por causa do Sheik”


Péricles é conhecido pelas músicas que escreve e canta e estão na boca das pessoas pelo Brasil e pelo mundo. Contudo, o lado torcedor do cantor também se aflora quando falamos de Corinthians. Torcedor fanático, o artista não esconde que lembra com muito carinho da noite de 4 de julho de 2012.

“O jogo começou por volta das 21h30, aquele horário padrão mesmo, mas eu fiquei o dia todo tenso. Não conseguia parar de pensar na partida. Tinha empatado a ida e a gente iria ter a chance de conquistar a Libertadores pela primeira vez. 4 de julho é a Independência americana e nós torcedores do Corinthians também queríamos ser independentes dessa história com a ‘liberta’. Não fui no jogo porque não fui em nenhum naquela Libertadores, ai já viu. Lembro que tinha show no dia seguinte e me pediram para tomar cuidado com a voz. Mas assim, depois que o Sheik marcou o primeiro eu sai gritando tudo e mais um pouco. Depois teve mais um e a voz foi embora. Mas a Libertadores era nossa”.

Péricles é um torcedor pouco usual. Diferente da maioria, que vai ao estádio e acompanha de perto sempre que pode, o cantor não é muito de estar presente nas arquibancadas. “Fico muito tenso, não consigo. Assisti os jogos da Libertadores de 2012 em casa, meio que vendo e meio sem ver de tão nervoso”.

Acreditar e seguir em frente

O ano de 2012 foi um marco para o Corinthians. Depois de vencer o Campeonato Brasileiro de 2011, o grupo quebrou a escrita e acabou com a piada dos rivais sobre a Libertadores e o ano foi fechado com a conquista do Mundial de clubes. Para Péricles, ser libertado no dia 4 de julho representou muito mais que apenas uma conquista inédita para o clube.

“Aquele título mostrou que sonhar, acreditar e seguir em frente vale a pena no fim. Aquele time mostrou isso. Sonharam que era possível, acreditaram e foram até o fim. Para mim como torcedor do Corinthians foi a maior lição que eu tenho daquela conquista”.

Perguntado se existe algum arrependimento de não ter acompanhado aquele time da Libertadores de 2012 mais de perto, Péricles é direto. “Não mudaria absolutamente nada. Mais jamais. Foi especial pela forma que foi, marcou e me deixou muito feliz”.