<
>

Rafael Moura cobra Botafogo por dívidas e manda recado para Textor: 'Vamos resolver a situação antes de pensar em contratações?'

Atacante usou as redes sociais para expor sua insatisfação com a diretoria alvinegra


O atacante Rafael Moura, que jogou no Botafogo no título da Série B do Campeonato Brasileiro no ano passado usou as redes sociais nesta quarta-feira (29) para cobrar a diretoria do clube e John Textor, acionista que detém 90% da SAF Alvinegra.

O jogador alega que não recebeu o FGTS do ano interno e nem o dinheiro referente aos três últimos de imagem.

De acordo com o atleta, as tratativas e conversas com o presidente Durcesio Mello e com o CEO Jorge Braga não avançaram. Por isso, ele optou por expor sua indignação nas rede sociais.

''Hoje meu post é de extremo desconforto, mas que precisa ser feito. O Botafogo ficou devendo o FGTS de todo ano e os três últimos direitos de imagem dos atletas que não permaneceram para 2022. Após sete meses de conversas amigáveis com Durcesio Mello e Jorge Braga, nada foi resolvido'', escreveu o jogador em postagem nos stories do Instagram.

Na publicação, Rafael Moura pede ainda para que Textor resolva a situação dos jogadores que ainda não receberam valores atrasados antes de falar em cifras milionários em suas declarações.

''John Textor e demais diretores que falam em cifras milionárias a cada entrevista, vamos resolver a situação do passado antes de novas contratações para o segundo semestre?'', questionou o atacante.

Com a camisa do Botafogo, Rafael Moura disputou 31 partidas e fez apenas um gol.

Confira a postagem na íntegra:

''Hoje meu post é de extremo desconforto, mas que precisa ser feito. O Botafogo ficou devendo o FGTS de todo ano e os três últimos direitos de imagem dos atletas que não permaneceram para 2022. Após sete meses de conversas amigáveis com Durcesio Mello e Jorge Braga, nada foi resolvido! Portanto John Textor e demais diretores que falam em cifras milionárias a cada entrevista, vamos resolver a situação do passado antes de novas contratações para o segundo semestre? Aguardamos um posicionamento de vocês que nem respondem via telefone''