<
>

Meia colombiano deixa jogo na Argentina chorando após ouvir insultos racistas: 'Me dá vergonha alheia', desabafa técnico

Episódio aconteceu em partida do Campeonato Argentino no último final de semana


O final de semana de futebol na Argentina foi marcado por um triste episódio de racismo na partida em que o Platense recebeu o Sarmiento no estádio Ciudad de Vicente López.

Torcedores do time da casa entoaram insultos contra a cor de pele e a nacionalidade do colombiano Harrinson Mancilla, meia do time visitante.

Sem aguentar escutar os insultos, Mancilla foi substituído aos 48 minutos do segundo tempo aos prantos, tendo que ser consolado por seu treinador, Israel Damonte.

Damonte, ao lado do meia Lucas Castro, apontaram os autores dos insultos, hostilizados por outros torcedores da casa que estavam próximos. Os mesmos foram retirados do estádio por agentes da segurança local.

O treinador do Sarmiento condenou a postura dos torcedores. “Me dá vergonha alheia repetir as coisas que dizem sempre os estúpidos, não? Cada vez temos mais neste país, uma coisa que se contagia. Por sorte, houve torcedores do Platense também que escutaram e recriminaram também. Voltar ao passado com esse tipo de coisa não é bom como sociedade e para todos que estamos nesse esporte”, disse.

O Sarmiento publicou mensagem de apoio ao meia. “A diretoria, sócios e torcedores do Club Atlético Sarmiento repudiam os insultos discriminatórios de racismo recebidos ontem pelo nosso jogador Harrinson Mancilla, no estádio do Club Atlético Platense. Embora fossem poucos, estamos convencidos de que o esporte e a maioria da sociedade felizmente deixaram esse tipo de agressão no passado. Nos solidarizamos com nosso jogador e nos esforçamos para que esse tipo de maus-tratos não volte a acontecer em nenhum campo”.

Platense, clube da casa, LPF, liga que organiza o Campeonato Argentino, e AFA não se manifestaram sobre o caso.