<
>

Mês do Orgulho: Só 11 de 40 clubes das Séries A e B do Brasileirão respondem questões LGBTQIAP+

play
'Olho para trás e me sinto muito feliz com a escolha que fiz': VEJA a história de Marcelo Nasminento na série Reflexões (2:44)

Asssista ao 'Reflexões' pela ESPN no Star+ (2:44)

Apenas 11 dos 40 clubes das Séries A e B do Brasileiro responderam perguntas da ESPN sobre temas LGBTQIAP+ no futebol


Como parte de seus conteúdos especiais publicados neste Mês do Orgulho LGBTQIAP+, cujo Dia Internacional será nesta terça-feira (28), a ESPN enviou aos 40 clubes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro três questões idênticas sobre temas relacionados à população LGBTQIAP+ que têm a ver, claro, com futebol. E a adesão foi, no mínimo, alarmante.

Isto porque só 11 deles responderam, ou seja, 27,5% - clique aqui e veja todas as respostas.

Foram eles 6 da primeira divisão: América-MG, Corinthians, Internacional, Palmeiras, Santos e São Paulo; e 5 da segunda: Bahia, Brusque, Criciúma, Cruzeiro e Vasco.

Outras 29 agremiações, ou 72,5% do total, preferiram o silêncio.

Foram elas 14 da elite: Athletico-PR, Atlético-GO, Atlético-MG, Avaí, Botafogo, Ceará, Coritiba, Cuiabá, Fluminense, Flamengo, Fortaleza, Goiás, Juventude e Red Bull Bragantino; e 15 da divisão de acesso: Chapecoense, CRB, CSA, Grêmio, Guarani, Ituano, Londrina, Náutico, Novorizontino, Operário-PR, Ponte Preta, Sampaio Corrêa, Sport, Tombense e Vila Nova.

As perguntas abordaram desde conhecimento sobre sua parcela de fãs dentro da comunidade, passando por garantia de segurança deste público nos jogos em casa e chegando, entre outras, à possível criação de um time específicamente LGBTQIAP+.

Os e-mails com as questões foram enviados para todos os clubes na terça-feira 14 de junho, com o prazo final para retorno sendo a terça-feira seguinte, dia 21; a reportagem, depois, ampliou o tempo em mais dois dias, para a quinta-feira 23.

O futebol, esporte mais popular do país, mesmo em 2022, ainda carrega valores machistas, intolerantes e arcaicos, marginalizando atletas, torcedores e demais profissionais do meio que sejam do grupo LGBTQIAP+, daí a necessidade de perguntas e repostas sobre o tema.

Veja, abaixo, quais foram as questões enviadas pela ESPN aos 40 clubes das Séries A e B do Brasileiro:

1 - O clube tem levantamento de qual é a sua porcentagem de torcida LGBTQIAP+? E quais são as ações do clube para esta parte da torcida e para a causa LGBTQIAP+ em geral?

2 - O clube garante a segurança de sua torcida LGBTQIAP+ em seus jogos em casa, se sim, como? E como o clube lida com gritos e manifestações de sua própria torcida contra a população LGBTQIAP+?

3 - O clube planeja ter um time LGBTQIAP+?